QUARTOS DE dormir

Quartos de dormir? Sim, eu tenho quatro, cada um em uma parte diferente do mundo! Eu estou sentada em uma poltrona reclinável no Quarto nº 2, com o computador em meu colo. São 6:30 da noite em Valdosta, Georgia, nos Estados Unidos, onde estou vivendo com a minha filha Lanae e o marido dela, John, desde que eu retornei do Brasil, há quase 3 meses. Os últimos raios de sol estão entrando pela grande janela que fica ao lado de onde estou sentada. Há mais algumas caixas embaladas e colocadas em lugares diferentes, aguardando para serem postadas no correio.

Eu estou indo embora do meu Quarto nº 2, em uma semana a partir de hoje, para o meu Quarto nº 1.

Minha filha mais velha e sua família vivem em Portland, Oregon, nos Estados Unidos. Eles também têm um quarto de dormir com o meu nome e com fotos minhas nas paredes , que é o meu Quarto nº 1. Um mês após o Joe ter partido para estar com o Senhor, em fevereiro de 2017, eu me mudei para o meu quarto na casa da Sheryl.

O que significa esse tanto de quartos de dormir?
Você não tem um apartamento ou algo parecido?

Bem, é assim. Quando Joe e eu finalmente nos mudamos para o Brasil no início de 2001, nós realmente nos mudamos. Vendemos nossa casa na Flórida e compramos um espaçoso apartamento no oitavo andar em Natal, Rio Grande do Norte. Não era muito chique, mas nós amávamos aquele lugar. Tinha duas varandas bem grandes, onde instalamos redes e podíamos contemplar o Oceano Atlântico.

Ele se tornou um lar para nós dois e para muitos brasileiros que vinham nas mais variadas horas para um café, para um lanche e para nos visitar. Nós também tínhamos um culto doméstico em nossa sala de estar todos os domingos. Nós amávamos o nosso lar, e muitas outras pessoas também o amavam.

Após 12 anos, por causa da saúde do Joe e da necessidade de voltarmos para os Estados Unidos, nós vendemos o nosso apartamento em Natal e, como parte do pagamento, recebemos um menor. Então, eu tenho um apartamento bem pequeno, com um quarto, em
Natal. Ele é o Quarto nº 3 .

Oh, você quer saber sobre o meu Quarto nº 4 ?
Bem, de todas as coisas, esse quarto também é no Brasil. Mas não na mesma cidade do Quarto nº 3. Eu tenho grandes amigos que vivem em Brasília, a Capital do Brasil. Três deles queriam que eu fosse para lá e ficasse com eles. Eu estava no Quarto nº 1, em Portland – Oregon, e precisava retornar ao Brasil para resolver alguns assuntos legais, além de compromissos na área educacional.

Eu tentei reservar voos para Brasília por quatro ou cinco vezes. Sempre havia um problema! Finalmente, eu disse ao Senhor que eu estava desistindo: quando Ele quisesse que eu fosse, era para Ele me mostrar. Aproximadamente um mês depois, Ele fez exatamente isso. Tudo se encaixou e eu viajei para Brasília em novembro de 2109, para o Quarto nº 4.

Eu não vou compartilhar algumas das aventuras agora – porque estamos falando sobre quartos de dormir. Mas tenho várias, adicionadas de muito riso, oração e ensinos em algumas igrejas.

Viaduto Santa Ifigênia durante a quarentena.

E aí chegou o CoronaVírus! O Brasil entrou em isolamento social e, em razão da minha idade, eu não podia sair do apartamento, mas havia uma pequena varanda e nós instalamos uma rede. Eu ficava trabalhando no meu blog e ensinando – via telefone, WhatsApp, Instagram e Facebook – de dentro do apartamento.

Ao final de maio de 2020, os Estados Unidos restringiram a entrada de brasileiros em seu território. Tudo bem: Eu sou cidadã americana, então não seria um problema para mim. Entretanto, isso significou uma redução significativa no número de voos entre os países. Meus seis filhos estavam unidos no propósito de me trazer de volta para os Estados Unidos.

Então eu peguei um dos últimos voos regulares do Brasil para Miami, fiquei um tempo com a família do meu filho mais novo e vim para Valdosta, meu Quarto nº 2, onde estou até hoje.

Eu não tenho palavras capazes de expressar o quanto eu aprecio meus filhos e seus cônjuges, que têm todo esse trabalho com essa mãe que tem quatro quartos em vez de um e que, aparentemente, não consegue parar em nenhum deles.

Mas há esperança. As coisas estão mudando neste mundo, muitas dessas mudanças não são boas. O Senhor me quer aqui nos Estados Unidos, e o meu corpo está ficando cansado de aviões e viagens. Eu estou aprendendo mais sobre ensino online. Estou trabalhando em alguns dos meus livros, o que requer que eu pare, estude e escreva.

Ao voltar para o meu Quarto nº 1 em Oregon, eu não faço ideia do que o Senhor tem em mente para mim. Mas uma coisa que Ele tem me ensinado é a confiar mais Nele. Você pode ter uma casa e alguns quartos, ou quem sabe em qual quebra-cabeça Deus te colocou… O mais importante para cada um de nós é confiar Nele. Posso não saber o que Ele está fazendo? Eu não preciso saber.

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.” (Provérbios 3:5,6 – NVI)

Este é o meu alvo. Quando eu faço isso, todo o resto se encaixa perfeitamente, incluindo todos os quartos!

– Voni-

Uma história real – Estudo Bíblico – Parte 6

Estudo Bíblico – Novo Friburgo, RJ

São 6 horas da tarde – e o céu noturno está caindo sobre as montanhas de Nova Friburgo. Eu ainda não me acostumei com a ausência do crepúsculo.

Do lado de fora está ficando definitivamente muito FRIO… e à medida em que as pessoas entram na nossa pequena casa, elas tiram os casacos pesados, gorros – e até luvas. A maioria desses jovens veio de transporte público e teve que andar alguns quarteirões depois de descerem do ônibus. O fogo na lareira contribui para aquecer a temperatura – e o calor humano ajuda ainda mais.

A mesa está encostada em um canto com uma toalha xadrez vermelha e branca, cheia de café, leite quente, açúcar, pão francês fresquinho, geleia de goiabada e petiscos que algumas pessoas trouxeram, além de pratos, copos e talheres descartáveis. Os que lá estão já começaram a se servir, os que estão chegando, tiram os seus casacos e vão direto para a mesa.

O volume do som vai aumentando gradativamente com os cumprimentos, que incluem muitos abraços, e os comentários animados sobre o tema do Estudo Bíblico desta noite: Demônios – o poder e a manifestação deles em nossas vidas. Depois do que aconteceu ontem, esse é um assunto polêmico.

A comida praticamente acabou e cada um encontra um lugar para se sentar, incluindo o piso de ladrilho, que é desconfortavelmente frio. Então jaquetas e mantas dobradas vão para o chão, para que as pessoas possam se sentar sobre elas. 

Cada um pega a sua Bíblia, alguns trazem caneta e papel para fazer anotações. Hora de começar. Eu não estou tentando escrever todo o estudo aqui, mas vou cobrir os pontos principais. Como há muito o que dizer sobre esse tema, eu vou fazer um breve resumo, e, se você tiver dúvidas, por favor não hesite em perguntar.

Com certeza, eu não tenho todas as respostas teológicas. Eu só conheço o que eu tenho experimentado e aprendido. Você NÃO tem que concordar com igo. Na verdade, eu adoraria aprender com as experiências e o conhecimento de outras pessoas.

1) O que são demônios e por que ou como eles têm poder?

São anjos caídos seguindo Satanás.

O mundo é físico e espiritual.

Satanás era um dos anjos mais importantes. Ele e seus seguidores ainda têm poder espiritual que pode refletir em nosso mundo físico.

Deus não criou o diabo como nós o conhecemos, e há algumas correntes de pensamento a esse respeito:

A primeira se baseia nos primeiros versículos de Gênesis: “No princípio criou Deus os céus e a terra. A terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas” (Gênesis 1: 1-3). Para essa corrente, o fato de haver “trevas sobre a face do abismo” leva a entender que houve uma guerra nos céus. Foi uma guerra muito ruim, onde Satanás se rebelou contra Deus, querendo tomar o Seu lugar de Deus. Satanás então foi expulso do céu e caiu na terra junto com um terço do anjos, os quais o seguiram.  

Uma outra corrente diz que, quando Deus criou o mundo, Ele o examinou e declarou que ele era bom (Gênesis 1:31). Isso significa que não havia anjos maus ou demônios naquela ocasião. Mas no capítulo 3 de Gênesis nós descobrimos que Satanás, em forma de serpente, estava tentando Eva a pecar. Portanto, em algum momento entre os eventos de Gênesis capítulo um e Gênesis capítulo três, deve ter havido a rebelião dos anjos, com muitos deles se voltando contra Deus e se tornando maus. Essa rebelião foi liderada pelo próprio Satanás.

A queda de Lúcifer do Céu

A Bíblia nos dá as seguintes informações sobre o diabo antes da sua queda e depois que ele se tornou orgulhoso e se rebelou contra Deus:

●     Chamado Lúcifer, que significa “estrela da manhã”

●     Ocupou uma elevada posição na hierarquia angelical

●     Tinha uma beleza extraordinária e grande sabedoria

●     A ele foi dada uma posição de grande poder e influência

●     Chamado “querubim guardião”

“Filho do homem, erga um lamento a respeito do rei de Tiro e diga-lhe: ‘Assim diz o  Soberano Senhor: ‘Você era o modelo de perfeição, cheio de sabedoria e de perfeita beleza. Você estava no Éden, no jardim de Deus; todas as pedras preciosas o  enfeitavam: sárdio, topázio e diamante, berilo, ônix e jaspe, safira, carbúnculo e  esmeralda. Seus engastes e guarnições eram feitos de ouro; tudo foi preparado no dia em que você foi criado. Você foi ungido como um querubim guardião, pois para isso eu o determinei. Você estava no monte santo de Deus e caminhava entre as pedras fulgurantes. Você era inculpável em seus caminhos desde o dia em que foi criado até que se achou maldade em você. Por meio do seu amplo comércio, você encheu-se de violência e pecou. Por isso eu o lancei em desgraça para longe do monte de Deus, e eu o expulsei, ó querubim guardião, do meio das pedras fulgurantes. Seu coração tornou-se orgulhoso por causa da sua beleza, e você corrompeu a sua sabedoria por causa do seu esplendor. Por isso eu o atirei à terra; fiz de você um espetáculo para os reis.” (Ezequiel 28:12-17 NVI).

Os querubins são descritos nas Escrituras como criaturas angelicais poderosas e majestosas que ficam em volta do trono de Deus. E Lúcifer já havia sido um querubim guardião. Tendo em vista que Lúcifer foi o modelo de perfeição, que tipo de pecado o levou à queda? Seu coração ficou orgulhoso por causa de sua incrível beleza. Lúcifer permitiu que sua perfeição fosse a causa de sua corrupção.

O julgamento de Deus sobre Lúcifer

Lúcifer não estava satisfeito em adorar a Deus. Em vez disso, ele queria ser adorado. Outrora um bonito e poderoso anjo de Deus, ele perdeu a sua antiga e exaltada posição no céu.

“Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações! Você que dizia no seu coração: “Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembléia, no ponto mais elevado do monte santo. Subirei mais alto que as mais altas nuvens; serei como o Altíssimo”. Mas às profundezas do Sheol você será levado, irá ao fundo do abismo!” (Isaías 14:12-15 NVI).

Lúcifer (“estrela da manhã”) se tornou Satanás (“acusador”) quando ele caiu na terra. Jesus, ao falar sobre esse evento, disse: “Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago.” (Lucas 10:18 NVI)

Os seguidores de Lúcifer

Quando Satanás caiu, ele não caiu sozinho. As Escrituras nos dizem que ele levou consigo um terço dos anjos (ver Apocalipse 12:4 NVI). Considerando que a hoste angelical tem mais de 10.000 x 10.000 (ver Apocalipse 5:11 NVI), é um grupo considerável.

Eles respondem pelos anjos caídos, ou demônios, que agora cumprem suas ordens. Como resultado, Satanás é um espírito caído, mas poderoso, com uma rede bem organizada de poderes demoníacos para ajudá-lo a cumprir seus propósitos. Esses propósitos, de acordo com Jesus, são “roubar, matar e destruir” (João 10:10 – NVT).

Essa é a má notícia. A boa notícia é que dois terços dos anjos estão do nosso lado! Como o profeta Eliseu disse ao seu servo: “Não tenha medo. Aqueles que estão conosco são mais numerosos do que eles”. (2 Reis 6:16 NVI).

Esses anjos rebeldes são agora chamados de demônios. Eles são seguidores de Satanás e obedecem aos comandos dele. Eles têm mais poder que os humanos, mas porque Jesus Cristo venceu Satanás na cruz, a balança de poder sobre o mundo, que Adão havia dado para Satanás, foi tirada dele e dada a Cristo. Por essa razão, o nome de Cristo e o Seu sangue têm mais poder que os demônios.

PARTE DOIS DO ESTUDO BÍBLICO

Poder dos demônios x Poder de Cristo

2) De onde nós recebemos poder para confrontar e/ou vencer demônios/espíritos malignos?

Como Cristãos, nós temos uma vantagem ainda maior que a maioria dos anjos que estão do nosso lado: Ela é Jesus Cristo!

“É Deus quem nos capacita e a vocês a permanecermos firmes em Cristo. Ele nos ungiu e nos identificou como sua propriedade ao colocar em nosso coração o selo do Espírito, a garantia de tudo que ele nos prometeu.” (2 Coríntios 1:21,22 – NVT)

Dê uma olhada nesses versos:

“Mas graças a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz triunfantemente. Agora, por nosso intermédio, ele espalha o conhecimento de Cristo por toda parte, como um doce perfume. Somos o aroma de Cristo que se eleva até Deus. Mas esse aroma é percebido de forma diferente por aqueles que estão sendo salvos e por aqueles que estão perecendo. Para os que estão perecendo, somos cheiro terrível de morte e condenação. Mas, para os que estão sendo salvos, somos perfume que dá vida. E quem está à altura de uma tarefa como essa? Não somos como muitos que fazem da palavra de Deus um artigo de comércio. Pregamos a palavra de Deus com sinceridade e com a autoridade de Cristo, sabendo que Deus nos observa.” (2 Coríntios 2:14-17 NVT)

Satanás fica irado quando retribuímos o amor de Deus, caminhamos com Ele e O honramos. O objetivo de Satanás é nos destruir. Ele não pode destruir Deus, mas PODE ferir e destruir aqueles a quem Deus ama.

Não é surpresa alguma quando as pessoas se voltam contra nós – pois carregamos um fedor mortal para elas.

Ou o oposto:

Você já conheceu alguém, como um atendente de uma loja, começou uma conversa e se sentiu atraído pelo coração daquela pessoa? Então você tomou coragem e, nas palavras que o Espírito Santo te orientou, a perguntou se ela conhecia Deus pessoalmente? É porque essas pessoas têm o perfume de vida.

Como isso se aplica ao mundo dos demônios?

Eu NÃO saio por aí procurando pessoas com demônios que precisam ser expulsos. Jesus Cristo é meu Senhor e Salvador – e é Nele que me concentro.

Entretanto, sem meu conhecimento, meu perfume de vida pode afrontar um demônio que está em alguém, fazendo com que ele se manifeste em reação ao Espírito Santo que está em mim – porque, para o demônio, eu tenho um fedor mortal.

Quando eles se manifestam, eles podem criar uma cena, tentar ferir a pessoa que o tem em seu corpo ou ferir a mim. Eu consigo me lembrar de exemplos de cada um desses casos em minhas próprias experiências.

Alguns são engraçados, outros NÃO são.

Por exemplo:

Uma mulher que estava no fundo de uma grande igreja veio correndo e gritando para o lugar onde estávamos sentados. Ela pegou um mastro de bandeira – e essas coisas são pesadas! – e começou a balançá-lo em cima de sua cabeça. Problema: à medida em que ela balançava aquele mastro, ele chegava próximo de atingir as nossas cabeças, e nós todos tivemos que nos abaixar para fugir daquela arma. Foram necessárias várias pessoas para conter ela e o bastão, e então ir para os bastidores e expulsar os demônios – e havia um bom número deles.

Eu me lembro a história de um dos filhos de Ceva. Não foi engraçado para eles, mas, todas as vezes que eu a leio, eu sorrio ou dou uma pequena risada.

Olhe a história dos filhos de Ceva:

“Deus fazia milagres extraordinários por meio de Paulo, de modo que até lenços e aventais que Paulo usava eram levados e colocados sobre os enfermos. Estes eram curados de suas doenças, e os espíritos malignos saíam deles. Alguns judeus que andavam expulsando espíritos malignos tentaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre os endemoninhados, dizendo: “Em nome de Jesus, a quem Paulo prega, eu lhes ordeno que saiam! ” Os que estavam fazendo isso eram os sete filhos de Ceva, um dos chefes dos sacerdotes dos judeus. Um dia, o espírito maligno lhes respondeu: “Jesus, eu conheço, Paulo, eu sei quem é; mas vocês, quem são? ” Então o endemoninhado saltou sobre eles e os dominou, espancando-os com tamanha violência que eles fugiram da casa nus e feridos. Quando isso se tornou conhecido de todos os judeus e os gregos que viviam em Éfeso, todos eles foram tomados de temor; e o nome do Senhor Jesus era engrandecido. Muitos dos que creram vinham, e confessavam e declaravam abertamente suas más obras. Grande número dos que tinham praticado ocultismo reuniram seus livros e os queimaram publicamente. Calculado o valor total, este chegou a cinqüenta mil dracmas.” O resultado: “Dessa maneira a palavra do Senhor muito se difundia e se fortalecia.” (Atos 19:11-19 NVI)

Só se lembre disso:

Você, como discípulo de Jesus Cristo, tem o Espírito Santo dentro de você.

Há GRANDE PODER no nome de Jesus Cristo e GRANDE PODER no sangue Dele para ordenar que os espíritos malignos saiam.

Eu ordeno que saiam pelo poder que há no nome de Jesus Cristo e o poder de Seu sangue. Entretanto, isso não é brincadeira. Nós estamos em uma guerra espiritual aqui e nós precisamos CONHECER quem é o nosso Rei e ter um relacionamento íntimo com Ele, pois Ele nos deu Sua autoridade. E é sábio nos revestirmos da armadura completa de Deus: “Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. Vistam toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do diabo, pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo. Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz. Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.” (Efésios 6:10-18 NVI)

Há ainda mais para ser estudado, mas vamos parar por aqui. Temos tempo apenas para mais uma pergunta.

3) Demônios podem entrar no corpo de Cristãos?

Uma boa pergunta – e uma que requer mais estudo de minha parte.

A maioria das pessoas diz que não. Que eles podem nos oprimir, fazer com que sintamos um peso e pesados, etc. Mas eles não podem de fato entrar em nossos corpos e mentes.

No entanto, eu já tive que expulsar espíritos malignos que estavam se manifestando em pessoas que eu achava que eram Cristãs. Isso significa que elas abriram sua guarda em algum ponto – talvez falta de perdão que leva à amargura e cria rachaduras em nossa armadura espiritual – há muitas maneiras para que isso possa ocorrer. 

Declaração final para esta noite:

Olhe para o nosso Senhor! Aprenda mais e mais sobre Ele.

Deixe o Espírito Santo nos transformar de glória em glória. – Eu amo esse versículo!

“E todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito.” (2 Coríntios 3:18 NVI)“…e o Senhor, que é o Espírito, nos transforma gradativamente à sua imagem gloriosa, deixando-nos cada vez mais parecidos com ele.”  (2 Coríntios 3:18 NVT)

Um grupo de jovens agora quietos e desafiados oraram juntos e vestiram os seus casacos para enfrentarem o frio que estava lá fora.

Nós tínhamos muito sobre o que pensar… e sabíamos que teríamos mais conversas sobre isso.

O fogo precisa de mais madeira quando estamos nos preparando para ir para a cama. Está GELADO lá fora e vai ficar cada vez mais frio aqui dentro, à medida em que o fogo vai se apagando.

Muito grata a Deus por esta noite. Nós TODOS aprendemos.

Voni

*** Parte deste estudo foi revisto de acordo com estudos sobre Lucifer, disponíveis em: Harvest.org

UMA HISTÓRIA QUE É REALIDADE – PARTE 5

É um lindo dia de sol nas montanhas… o arzinho fresco e um suéter caem bem. Eu tenho trabalhado a confusão da noite passada na minha mente, conversando com o Senhor, e estou ansiosa para o Estudo Bíblico de logo mais à noite. Eu sei que será um dos bons, que será desafiador para o Cal e para mim, porque os jovens irão nos bombardear com perguntas.

Eu vou ao mercado para comprar bastante pão francês, goiaba e algumas outras coisas. Ao sair de lá, por impulso, decido parar e visitar um casal cristão mais velho que todos nós amamos. Eles eram espíritas, mas começaram a seguir o Senhor há uns 10 anos. Talvez eles possam me dar uma perspectiva diferente sobre o que aconteceu na última noite… e um pouco de café fresco seria bem-vindo.

Eu não estava errada. A conversa é boa e acompanhada de um bom café. Quando eu começo a pensar em ir embora, Dona Maria Helena me impede de sair; ela tem um livro que quer que eu veja. Eu me sento novamente.

C:UsersLucasDownloadshands-hand-book-reading.jpg

O título do livro é “Métodos usados por satanás”. Eu começo a folheá-lo. É bem escrito e ilustrado. Alguns dos métodos você talvez reconheça: alcoolismo, drogas, lares destruídos, desonestidade, diferentes formas de espiritismo. Eu fico preocupada, porque é tudo muito bem ilustrado, mas não há nenhuma menção a Cristo e de como só Ele pode libertar as pessoas.

Na seção do livro que ensina sobre espiritismo, há a ilustração de um médium usando ectoplasma de seu próprio corpo para criar o corpo de uma outra pessoa: um processo muito perigoso, porque, se o elo entre os dois corpos se quebra, o médium pode morrer. E este era um processo que a Dona Maria Helena havia feito, ela mesma, quando era médium. Eu me preocupo porque eu sinto que ela está muito envolvida com o livro. Eu comento sobre isso com ela, mas ela diz que está tudo bem. Ela só queria me mostrar o livro que ela havia recebido de uma amiga.

C:UsersLucasDownloadspower-of-prayer.jpg

Agradeço a ela, tomo o último gole de café da minha xícara e me levanto, estendendo as minhas mãos para Dona Maria Helena e seu marido, João, para que possamos orar juntos antes de eu sair.

C:UsersLucasDownloadsfora.png

Eu fecho os meus olhos quando João começa a orar, mas eles se abrem quando eu sinto um movimento violento do meu lado esquerdo. Maria Helena largou nossas mãos, e as delas estão flexionadas como garras em minha direção. Eu não me movo, porque eu sinto que, se eu me mexer, ela vai me agarrar com as suas unhas.

Quando eu olho para ela, eu escuto uma voz gutural profunda rosnando para mim, e a voz está vindo da boca dela:

– “Saia desta casa – AGORA! Nós NÃO queremos você aqui! Aqui não é o seu lugar!”

C:UsersLucasDownloadsgetimage.jpg

João começa a orar, verbal e quietamente. Eu também oro. Nenhum de nós se move. A única distração é o cachorrinho fofo deles correndo para a sala de estar de curiosidade: ele olha para Maria Helena, coloca o rabinho entre as pernas e corre dali o mais rápido que ele consegue – eu acho que sempre vou sorrir ao me lembrar desta cena…

Nós três continuamos de pé, eu e o João orando e expulsando os espíritos malignos. O poder do sangue de Jesus e o poder que há no nome Dele faz com que os espíritos malignos fujam.

Eu observo a fisionomia da Maria Helena se transformar bem diante dos meus olhos. O corpo enrijecido relaxa, suas mãos caem e ela começa a chorar. Nós colocamos os nossos braços em volta dela. Ela entende o que havia acabado de acontecer. Eu sofro com ela, ao vê-la chorar.  

Logo após alguns minutos, ela se mexe, caminha até a mesa de centro e me entrega o livro, pedindo para que eu desse um fim nele. Eu concordo e levo ele comigo. Após mais alguns abraços e lágrimas, eu vou embora, assustada com o que aconteceu e com o que Deus fez.

Sabe que fim teve aquele livro?

C:UsersLucasDownloadslivroqueimando.jpg

Ao levar as coisas para dentro de casa, eu caminho até a lareira e rasgo o livro por inteiro, para, com os gravetos, dar início ao fogo que irá aquecer o final da tarde. O ar frio começa a entrar dentro de casa…

Eu fico de frente à lareira me aquecendo e observando as páginas daquele livro se transformarem em cinzas. Ninguém mais irá lê-lo e ser influenciado pelo mal! Eu me viro, vou buscar um suéter e depois sigo para a cozinha e começo a cortar o pão para o jantar.

Em todo o tempo, agradecendo a Deus por Sua misericórdia e Seu poder!

PS – Naquela noite, nós tivemos um Estudo Bíblico divertido e desafiador. Cada um de nós aprendeu um pouco

C:UsersLucasDownloadsestudo.jpg

UMA HISTÓRIA QUE É A REALIDADE – PARTE 4 (CAOS)

Demônios se Manifestando – Deus está me Ensinando
Nova Friburgo, RJ

Meus anos morando no Brasil tem me ensinado muito e há mais para aprender.
Cal, eu e nossos três filhos mais novos estamos morando nesta cidade em algumas montanhas que se erguem nas alturas perto do Rio de Janeiro, Brasil.
É inverno e FRIO à noite.

(Só para você ter uma ideia, podemos ver nossa respiração quando nos levantamos; até que a madeira seja colocada na pequena lareira para tirar o frio da casa).

A pequena casa que estamos alugando tem três quartos e dois pequenos banheiros com chuveiros elétricos – quanto mais lentamente sai a água, mais quente ela é. Obviamente, se alguém deixa a água sair devagar demais, o chuveiro elétrico para de funcionar e tudo o que você obtém é ÁGUA FRIA. É uma tarefa delicada manter a água em uma temperatura agradável: o que significa que raramente se consegue.

Nossas duas filhas dormem juntas com cinco ou seis cobertores empilhados em cima delas, nosso filho dorme com roupas que aquecem e muitos cobertores. Cal e eu temos um cobertor elétrico com um cobertor pesado por cima dele e nós nos consideramos RICOS!

A maioria de vocês pensaria que éramos loucos ao agradecermos por essa casa, mas havia muitas risadas ali, com muitos jovens passando através dela.

O jantar era geralmente depois do anoitecer, com uma boa fogueira, para que a casa estivesse quente. Eu aprendi a fazer geleia de goiaba … que com pão francês fresco, café e leite quente e limonada fresca feita no liquidificador, 10 ou 12 jovens amontoados ao redor de uma pequena mesa … nós poderíamos comer MUITO.

Algumas semanas antes, quarto desses jovens chegaram e bateram à nossa porta para perguntar se estaríamos dispostos a ensinar-lhes lições da Bíblia. Nós sempre estaríamos!
Começamos – agora o grupo estava crescendo e logo aumentaria demais para reunirmos em nossa casa, mas ainda não chegamos lá…

À noite, depois que comemos, fomos para o prédio de uma das meninas para fazer um Estudo Bíblico na “sala social” do prédio dela. Havia 20 ou 25 lá … Foi um ótimo tempo. Antes de partir, todos formamos um círculo, de mãos dadas para podermos orar. A garota à minha direita que segurava a minha mão foi a que nos convidou para ir ali. Eu não a conhecia, mas descobri que o nome dela era Eleanor; então demos uns grandes sorrisos ao apertarmos as mãos.

Um dos meninos começou a oração – quando de repente – confusão! Aconteceu tão rápido que levei um minuto para entender o que estava acontecendo.

A garota que estava segurando minha mão foi jogada no chão e se contorcia e gritava. Todos os jovens estavam orando com força e pulando, tentando colocar as mãos na garota. O barulho e a confusão eram surpreendentes! Eu mal conseguia ouvir minha própria voz.

Lembro-me de me perguntar o que as pessoas no prédio estavam pensando sobre o barulho vindo do andar de baixo?
E eu pensei: “quando Jesus expulsou espíritos malignos, eu não penso que foi assim que Ele fez isso. “

Eu consegui entrar em meio das pessoas ali e tocar Eleanor. Comecei a orar com uma voz baixa, expulsando os espíritos dela. O nível de ruído diminuiu (aquela garota podia realmente gritar quando os demônios se manifestavam).

De alguma forma Cal fez com que esses jovens começassem a orar em silêncio e os últimos espíritos malignos saíram da moça. (Há perguntas específicas que pode perguntar para saber.)

Ajudei Eleanor se levantar, depois a abracei. Todos que estavam lá também vieram abraçá-la. Expliquei um pouco do que tinha acontecido com ela e ela me contou que estava frequentando reuniões espíritas. (Isso explicou tudo para mim).

Cal e eu oramos com ela mais uma vez antes de ela subir para o seu apartamento. Todo mundo foi para casa um pouco abalado, alguns não entendendo o que havia acontecido.

(Na noite seguinte, em nossa casinha, tínhamos muito o que ensinar, explicando com nossas Bíblias abertas, enquanto trabalhamos os acontecimentos da noite anterior e o porquê não podíamos mais retornar à área social do prédio.

Entretanto, antes de nos encontrarmos na noite seguinte. Deus me permitiu ter uma lição ainda mais clara que eu nunca esqueci.


-Voni-

Uma História que é a Realidade – Parte 3

Quando me levantei da cama de manhã, não tinha ideia que Deus iria fazer daquele um dia inesquecível.

Cal me deixou perto da escola Americana onde eu lecionava as 5ª e 6ª séries. A escola estava em uma antiga casa que tinha sido adaptada para lidar com aulas. Provavelmente não havia mais de 100 alunos para todas as séries. Gostei do ensino porque também aprendi.

Enquanto caminho em direção à escola, o calor do sol nas minhas costas e as manchas de sombra das árvores são maravilhosas. A calçada é larga, mas quebrada em alguns lugares; portanto, é preciso ter cuidado para observar onde você pisa.
Ando devagar porque estou discutindo com Deus enquanto tento entender.

Foi isso o que aconteceu:
Maria Vitória é uma jovem que eu amo. Ela era estudante de intercâmbio em Portland, Oregon, onde morávamos e estava constantemente em nossa casa, apesar de não sermos seus “pais” oficiais.

Sua verdadeira casa era em Belo Horizonte, onde agora morávamos, e passamos a amar seus pais e irmã mais velha. Muito do meu aprendizado sobre o Brasil foi em sua casa. A família era católica/ espírita e do ramo do espiritismo de Alan Kadec. Eles me faziam sentir bem-vinda sempre que eu ia lá, pois todos falavam inglês. A casa deles se tornou uma espécie de refúgio para mim – um lugar de “segurança”.
E conversava muito com eles sobre Deus e Cristo.

Há cerca de um mês antes, Maria Vitória sofreu uma queda desagradável na calçada, raspando gravemente as pernas e os joelhos. Ela fez várias consultas aos médicos, mas suas pernas se recusavam a sarar. Alguns dias antes, ela foi a uma reunião espiritualista e o médium curou suas pernas imediatamente. Ela ficou emocionada e contou a todas as amigas o que havia acontecido.

Eu estava pensando sobre isso enquanto andava… e chateada com Deus.
“Pai, o que está acontecendo?! Eu sei que Jesus curou pessoas quando andou aqui na terra, e li histórias em que as pessoas diziam que foram curadas hoje em dia. No entanto, fui ensinada que os dias de milagres e curas terminaram quando todos os apóstolos morreram.

Mas olha para isso! Maria Vitória foi curada por um médium espírita. Eu acredito nela. Sei que ela é sincera e não exagera, e não há possibilidade de entender mal o Inglês dela. Isso realmente aconteceu!

Como encaixo isso no que eu acreditava ser verdade?
Os médiuns espíritas tem mais poder do que o Senhor?
Não, eu sei que não é verdade. O Senhor é Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo! O Senhor é Deus, Três em Um.
Todo poderoso. Onipotente. Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.
Não existe NINGUÉM OU COISA mais ponderosa que O Senhor”Eu estou quase em lágrimas. Eu não entendo!

A quietude vem calmamente quando um novo pensamento invade minha mente.
Não, satanás e seus demônios não tem força sobre Deus, mas se eles puderem plantar sementes de dúvida na minha mente, eles vencem.

“Eles não vão ganhar de mim.
Há apenas uma solução que eu posso ver.
Deus tem mais poder.
Portanto, Ele tem mais poder para curar que qualquer espírito.
Fui ensinada que milagres e espíritos malignos não existem hoje.
Esse ensino estava errado!
Deus tem TODO poder.

Satanás fez o homem quebrar as promessas que Deus lhe deu, o que fez com que Satanás se tornasse o senhor dessa terra em vez do homem.
Um homem – sem pecado – teve que morrer para restaurar aquele contrato.
Jesus fez exatamente isso!
Ele criou um novo contrato e me comprou, liquidando a dívida que Satanás criou.”
E uma parte de Deus, o Espirito Santo, entrou em mim para me ajudar e dando a força e o entendimento que eu preciso!

“Senhor Deus, estou recebendo um novo conceito sobre tudo.
Obrigado por seu Espírito Santo, que está me revelando isso!
Você terá que me ensinar como vencer batalhas espirituais.
Essa foi uma?”
Subo os degraus da escola, cumprimentando alunos e professores.
Ninguém sabe que meus conceitos de vida foram totalmente alterados pela minha conversa com Deus enquanto eu caminhava para a escola sob o sol.

Também não entendi o que isso significaria, nem como Ele continuaria a me ensinar até hoje, enquanto eu ouvia um querido irmão do Sri Lanka compartilhar o que ele aprendeu sobre a Guerra Espiritual.

Percebo que também tenho histórias de batalhas onde o mundo espiritual se espalhou pelo nosso mundo físico … que agora estou disposta a compartilhar. Está na hora, pois as batalhas se tornarão mais ferozes e precisamos saber como usar as armas que Deus nos dá.

– Voni-

Uma história verdadeira – Parte 2

IMG-20200804-WA0000

Minha vizinha de porta, Maria, e eu estamos na cozinha dela.

Ela está conversando comigo e agora está usando um tom de voz sério. Eu ainda devo ouvir atentamente para entender e minha mente vagou enquanto me perguntei: Maria, por que todos se chamam Maria, até alguns homens? O médico de um amigo se chama José Maria Santos. Por quê???

De repente, uma palavra veio: “médium” … em referência à pessoa que fala e ouve dos espíritos, transmitindo seus pedidos e ordens a você.
“Desculpa, eu não entendi”.

“Você precisa me ouvir com mais cuidado!” – Maria engasga.
“Estou falando que você PRECISA levar Joãozinho para um médium para que ele melhore!
Ele está doente há vários dias com uma febre e diarreia e isso é perigoso. Ele pode ficar desidratado sem você nem mesmo saber!”

Meu estômago revirou. Nossa criança de três anos precisa de um médico, não de um médium.
Maria continua: “Pense nisso. Sempre que um dos meus filhos adoece, eu os levo ao médium que conheço. Eu ficaria feliz em levar você e Joãozinho”.

Eu a agradeço profundamente.
Aprendi a fazer isso bem ao descobrir o quanto os brasileiros gostam de ajudar. Depois nos beijamos nas bochechas um do outro (bochecha esquerda primeiro, para não bater no nariz).

Volto para minha casa, falando com Deus enquanto eu vou.
“Senhor, me ajude! Por que Joãozinho está tão doente? Todas as crianças sabem beber do filtro, e não da torneira. Não é a cauda de jacaré que comemos há alguns dias – pelo menos acho que não! Eu sei que foi bem frito. O QUE está errado? “

Estou preocupada. Sem telefone para ligar por ajuda. Ando e oro, verifico Joãozinho e busco mais água para ele, então oro e ando.

Aproximadamente 45 minutos depois, alguém bate na nossa porta da frente. Ouço Cal responder, e depois vozes conversando. Eu desço as escadas. Paulo e Ana (um casal brasileiro que irão se casar em alguns meses e que falam em Inglês, irmã mais nova de Ana (sua irmã estava com eles como acompanhante – em 1967 qualquer casal tinha que ter acompanhante em um encontro), um outro homem, que também fala em Inglês. Estou emocionada por ter companhia e fui para cozinha para fazer um cafezinho.

Paulo me para.
“Voni e Cal, eu trouxe Dr.Fábio aqui para ver Joãozinho. Dr. Fábio é um obstetra. Alguém nos disse que o pequeno filho de vocês está doente, e Dr. Fábio quer vê-lo, antes de tudo. Depois vamos todos tomar aquele café”.

Eu quero saltar, louvando a Deus. Nesta manhã Maria me disse que eu precisava de um médium. Deus sabia que precisávamos de um médico, e Ele trouxe um para nós!

IMG-20200804-WA0001

O que aprendi? Estávamos usando um poço, então eu confiei na água. ERRADO.
Dr. Fábio tira uma amostra da água para os laboratórios, examina Joãozinho, dá remédios – depois nós adultos tomamos um delicioso cafezinho, juntamente com uma visita maravilhosa antes de nossos convidados saírem; e Dr. Fábio dando-me uma versão resumida das coisas que eu precisava fazer imediatamente.
Eu tive que começar a ferver toda a água por 30 minutos antes de usá-la. 24/7 Mesmo a água usada na escovação dos dentes.
Alguns dias depois, o relatório do laboratório afirmou que a água estava fortemente contaminada. Assim, o regime de ebulição da água continuou o tempo todo em que moramos lá… 😊

Esse dia sempre se destacará em minha memória como um momento de um luz brilhando.
Eu ainda me lembro do choque de Maria dizendo que eu deveria levar nosso filho a um médium.
O espiritismo estava impregnado em suas vidas. Lidar com os espíritos – eu pensava que os espíritos malignos existiam nos tempos bíblicos, mas não agora?

Eu tive muitas lições de Deus me mostrando que isso não é verdade. Por causa de Sua graça, as lições começaram gradualmente. Vou compartilhar algumas deles com você, pois quero que você esteja ciente do mundo espiritual que cerca você e eu. É tão real quanto meus ossos e minha carne.

Podemos negar que anjos, espíritos malignos e/ou milagres existem hoje, mas o que pensamos não muda a realidade.
Nas histórias a seguir posso mudar alguns nomes e nem sempre mencionar o ano … mas o que aconteceu, aconteceu.
– Voni –

Uma História

Uma história verdadeira. Parte 1 

Foi assim que tudo começou. 
. . Uma menina nascida em Ontário, Oregon, numa pequena comunidade situada no meio de fazendas e ranchos, em 28 de agosto de 1932. 
Nome? Vondelae Eldred (sem nome do meio – e as pessoas sempre me perguntavam o porquê. Sim, havia um motivo). 

Uma breve história: meu irmão nasceu em 1934. Em 1935, papai vendeu sua parte da fazenda para o irmão dele e nos mudamos para Bellingham, Washington, perto da fronteira com o Canadá. Papai começou um negócio de entrega de combustíveis (na época, o combustível era carvão). 

Minha lembrança mais antiga foi quando eu tinha três anos e convenci meu pai a me deixar secar as louças que estava lavando (Mamãe estava cuidando do meu irmão). Papai puxou uma cadeira ao lado dele, me ajudou a subir e ficar em pé e me deu uma toalha para secar as louças. Eu era uma garotinha muito orgulhosa e papai escondeu bem o nervosismo enquanto mantinha um olhar atento sobre mim. 

As memórias vêm rolando… tomei um gole do perfume da mamãe após instruções severas para não tocá-lo – claro depois que tomei – para minha tristeza. 

O caminhão de gelo dirigindo pelo beco e eu correndo para contar ao motorista quanto gelo precisávamos para o nosso ‘refrigerador de gelo’, que usava enormes pedaços de gelo para manter a comida fria (antes da época das geladeiras elétricas) e a bagunça que acontecia na hora de livrar da água gelada e colocar novos pedaços de gelo… o chão da cozinha sempre recebia uma limpeza profunda depois. Adorava a confusão – mamãe odiava. Para ela, a pior parte era que precisávamos fazer isto a cada dois dias. 

Fazendo buracos em cada abacate numa caixa de abacates para ver se eles estavam maduros (ainda amo abacates). 
E mais lembranças – algumas engraçadas, outras embaraçosas. 

Quando tinha cinco anos, nossa família mudou para uma pequena fazenda perto de Bellingham, Washington. Papai amava a terra e sempre achava uma maneira de trabalhar com ela, onde quer que morássemos. 
Ele adquiriu outro caminhão para a firma, e a “Eldred Fuel” se tornava uma parte dos negócios de Bellingham. 

Mais memórias 😊 Mamãe e papai amavam a Deus, um ao outro, e meu irmão e eu … nessa ordem. Eu estava segura naquele amor, e amei Deus, meus pais, e meu irmão (de vez em quando. 🙂 

Tivemos as divergências normais entre irmãos, mas papai não permitiu brigas. Ele nos ensinou sobre como o coração pode ser partido pelas palavras raivosas. Com o tempo e a experiência, aprendi o valor desses ensinamentos. 

Conversava com Deus o tempo todo, sobre tudo – e ainda o faço. Jesus também estava envolvido nessas conversas, mas eu não sabia muito sobre o Espírito Santo, além de que Ele também fazia parte da Trindade. Entendi o valor do batismo nas águas – e fui batizada aos onze anos. 

Agora vou pular anos de lembranças – direi apenas que era um mundo diferente daquele que conhecemos agora. Mas Deus não era diferente. Ele sempre foi Deus e presente na minha vida. Contudo, ainda não conhecia o Espírito Santo, mas estava prestes a aprender! … 

No verão de 1967, nossa família (Cal Hall, eu e nossos cinco filhos – de 15 a dois anos) se mudou num navio cargueiro japonês para o Brasil. Fizemos parte de um grande grupo (em 1968 – 68 pessoas) que se mudou para trabalhar juntos e compartilhar as Boas Novas sobre Jesus Cristo em Belo Horizonte, MG, Brasil. O grupo começou a se formar em 1962, representando anos de trabalho e aprendizado, e foi chamado de “Operação ’68”. 

Estávamos tão preparados quanto podíamos estar, mas eu não tinha ideia nenhuma de algumas das aventuras que agora indelevelmente estão impressas em minha mente. Elas estavam esperando por mim, incluindo a mudança ao lado de uma família espírita ativa. 

Foi quando Deus iniciou um processo de ensino mais profundo. Vou compartilhar um pouco mais sobre isto amanhã. 
– voni 

AGRADECENDO DEUS – SEMPRE

Hoje estou me sentindo pensativa. Memórias passando na frente dos meus olhos. Você entende o que quero dizer? 

**** Uma piscina antiga em Contagem, MG. O musgo crescendo entre algumas das pedras… mas o Sr. José mantem a água limpa para que a família e os amigos possam se refrescar nos dias quentes sem vento. Algumas mangueiras estão crescendo próximo à beira da piscina, assim podemos pegá-las para comer. Em seguida, pulamos de volta na água e assim nos limpamos do suco da manga. 🙂

****A casa que construímos no topo de uma montanha perto de Belo Horizonte, MG. Foi um milagre, pois não tínhamos sálario vindo dos Estados Unidos… ganhávamos o dinheiro que pagava nossas contas ensinando inglês. Para nós, parecia absolutamente impossível,de construir uma casa. Mas não foi impossível para Deus!

Tenho MUITAS memorias de lá: risos e lágrimas. Mas hoje, quero contar uma incidente um dia quando estava lavando a roupa.

****A lavanderia ficava no porão… uma vez por semana, eu levava todas as roupas de cama e roupas sujas, separava-as em pilhas no chão de cimento (muitas pilhas), enchia a máquina de lavar com água fria e adicionava sabão Omo, jogava a primeira pilha de roupas na máquina, enchia os dois tanques de metal com água e começava. (As vezes, eu pensava em todas as vezes em que ajudei minha mãe a lavar roupas no mesmo tipo de máquina, no porão da casa da mamãe e papai nos EUA … tantos anos atrás!)

Mexendo com esta roupa, a máquina, os tanques e a agua foi como uma dança que durava muitas horas.

Primeiro, a roupa ia para o maquina de lavar para mexer, depois passava pelos rolos para primeira tanque para enxaguar, depois, espremia com os rolos para uma segunda tanque para enxaguar novamente e espremer novamente para a cesta de roupas. Era automático jogar as roupas até que fossem lavadas e levadas a cesta para pendurá-las… Minhas mãos e corpo estavam trabalhando e minha mente estava conversando com Deus – muito! Descobri que era um ótimo momento para resolver as coisas, nas minhas conversas com Ele.

****Uma lembrança que se destaca: Uma tempestade chegou e nos cercou lá na montanha: com todo seu barulho e raios. Só tinha o último cesto de roupas para pendurar… e corri para fazer isso.

O restante da área do porão tinha apenas um piso de cimento inacabado, e a parede do lado de fora estava aberta ao clima, com os tijolos criando uma sensação de “estar fora mesmo dentro”. Para o varal, tivemos que usar linhas de arame estendidos em vez de linhas de algadao de varal – pois o último não existia em nosso local.

Saí correndo da lavanderia com aquele cesto de roupas e comecei a usar os últimos prendedores de roupa para pendurar as roupas molhadas na linha de arame – isto NÃO foi inteligente! Até algumas vezes senti meu corpo arrepiar quando os raios se arquearam no céu. Somente mais tarde, quando pensei naqueles “arrepios”, percebi que bênção era estar usando tênis resistentes, com borracha suficiente para interromper meu contato com o chão – E um Pai amoroso que me protegeu!

A lição? Inúmeras vezes Deus nos protege. Muitas vezes sem que percebêssemos quando isso aconteceu.

Somente depois, ao olhar para trás, percebemos – e ficamos cheios de agradecimentos! Qualquer hora que reconheço esses momentos, fico admirada e agradeço a Ele novamente.
Voçê está agradecendo Deus sempre? e pode pedir o Espirito Santo que lhe mostre algumas vezes que Ele protegeu você… Você pode ficar surpreendido.

-voni-

“16 Alegrai-vos sempre, 17 oram continuamente, 18 dão graças em todas as circunstâncias; pois esta é a vontade de Deus para você em Cristo Jesus.” 
1 Tessalonicenses 5: 16-18 

VOCÊ SABIA…

Não – a foto não é do oceano em Natal

Nem os tetos e o céu do apartamento em Brasília

Nem a grama verde e as casas ao redor de um pequeno lago ao norte de Miami

Nem o quintal da casa da minha filha em Portland, Oregon.

Pelo contrário, é a vista da minha cadeira onde estou sentado e escrevendo

na casa de outra filha em Valdosta, na Geórgia.

Os oito meses em que estive em Brasília (capital do Brasil) foram loucos. Nada como planejado, mas Deus ainda estava envolvido. Quão grato sou por isso!

Aprendi mais sobre idade e dor e continuo aprendendo mais destes assuntos. Essas aulas me seguem, independentemente de onde eu esteja.

Estou trabalhando no aprendizado: como posso ensinar e compartilhar de forma eficaz usando a Internet? Eu fiz várias aulas ao vivo enquanto estava no Brasil. Agora eu preciso aprender como fazê-las daqui.

Também estou trabalhando para montar as coisas para seguir em frente em dois livros. Gostaria que eles terminassem em outubro – o backup da oração seria apreciado!

Fevereiro: eu estava em Brasília quando a pandemia ocorreu. Por causa da minha idade, eu estava presa no apartamento que, graças a Deus, tinha uma pequena varanda para que eu pudesse respirar ar fresco.

Meus seis filhos nos Estados Unidos começaram a pedir para que eu voltasse.

No final de maio, menos vôos entre o Brasil e os EUA. Estava na hora de voltar.

Deus abriu as portas, eu tinha quilometragem, então cheguei aos EUA no dia 2 de junho, passei alguns dias com o filho Jonathan Hall e a família em Miami, depois fui para Valdosta.

Durante essa fase das coisas, as mensagens enviadas no meu blog foram interrompidas por um período de tempo. Agora trabalhando para normalizar. Muitas coisas para colocar aqui.

QUANDO você receber isso, por favor, responda com um simples “recebido”. Isso vai me ajudar muito gostaria de saber se vocês estão bem.

E se você tiver alguma dúvida ou comentário sobre algo que gostaria de saber no futuro, deixe essas informações e eu responderei.

Deus abençoe!

‘Voni’

Carta do “Ben”

De : Senhor Ben Gala
Para: Amigos e Amigas de Pastora Voni Pottle

Deixe-me tirar as coisas menos importantes do caminho,

Meu nome é Senhor Ben Gala … um nome de que me orgulho, que está no dicionário português há anos. A tradução para o dicionário do idioma americano é “cane”, mas eu prefiro muito mais o meu nome brasileiro! Acredito que ele carrega muito mais dignidade do que aquela minúscula palavra “cane’, que é realmente inconsistente com minha posição de responsabilidade de ajudar a Pra. Voni (para aqueles que não falam português, isso significa Pastora Voni – que é a palavra feminina para pastor). Perdoem, me desviei.

O que faço é tão importante? Ajudo uma mulher de 87 anos a andar sem cair. Eu não a considero uma pessoa normal de 87 anos. Ela fala fluentemente em inglês e português e também escreve nos dois idiomas (o português é considerado um dos idiomas mais difíceis: faz o espanhol parecer uma brincadeira de criança gramaticalmente). Às vezes ela reclama do sotaque.

 Todavia, como um professor de idiomas disse a ela há muitos anos, “um sotaque prova que você fala mais de um idioma!” Eu concordo totalmente com ele!

Ela tem alguma dificuldade para caminhar (e é por isso que EU SOU TÃO IMPORTANTE EM SUA VIDA!)

Ela também tem dupla cidadania, americana e brasileira. Ela e eu sempre nos lembraremos dos dias em que ela recebeu sua carteira de identidade brasileira e depois o passaporte brasileiro. Ambos estão bem guardados, junto com seus documentos americanos.

Eu estava lá … e orgulhoso de estar ao lado dela! Ela me usou muito naquele dia, enquanto caminhávamos pelo prédio da Justiça Federal, que é um edifício impressionante! Depois, caminhamos por calçadas quebradas (isso era um desafio para mim) para entrar em um prédio antigo (ITEP) – não me pergunte o que essas iniciais significam.

Quando entramos naquele prédio, uma longa escada velha nos encarava.

Os funcionários se ofereceram para levar o equipamento de impressão digital e os selos dos documentos lá embaixo onde estávamos, mas ela se recusou a trazer tudo para o andar de baixo (eu já lhe disse que essa senhora pode ser muito determinada – eu a chamo de teimosa). Ela insistiu em poder subir as escadas e depois voltar a descer. Eu, junto com alguns amigos e uma das suas filhas que estavam conosco, todos tentamos convencê-la a não usar aquelas escadas, apesar de haver um corrimão (que ela usa muito bem).

Ela não iria ouvir!

Subimos as escadas devagar, uma de cada vez, e ficamos TODOS aliviados quando chegamos ao topo.

Entramos no escritório e estávamos sentados. As damas do escritório nos trouxeram café e água fria e nos parabenizaram por subir as escadas! Todos (exceto eu) gostaram da água e do café. Eu tinha que apenas olhar enquanto estava apoiado contra uma parede ☹

Eu tive que rir (embora eles não pudessem me ouvir) quando tiraram as impressões digitais dela. Que bagunça!

Quando ela terminou, suas amigas tiraram uma foto de suas mãos enquanto ela as apontava para a câmera: cada dedo PRETO. Eu ficaria envergonhado, mas não ela! Ela ficou tão emocionada por receber seus documentos que apenas riu. Ela sorri e ri muito. Está sempre falando sobre o quão bom Deus é para ela!

Terminamos todos os documentos, agradecemos às damas do departamento e depois voltamos para as escadas! Você sabia que é mais difícil descer do que subir as escadas?

Descemos as escadas, uma de cada vez. Quando chegamos lá embaixo, nós paramos e agradecemos novamente aos funcionários. Fomos para o carro (andando por mais calçadas quebradas), dirigimos de volta ao Prédio da Justiça Federal, onde a Pra. Voni recebeu o arquivo de papelada (processo de naturalização) de uma funcionária de lá. Ela imprimiu o cartão de cidadania brasileira e o entregou para a Pra. Voni.

Você não pode imaginar os sorrisos e abraços. Eu acho que todo mundo estava tão feliz e emocionado quanto a Pra. Voni.

Eu sei que eu estava!

Terminamos a tarde indo a um ótimo restaurante com vista para o oceano. Este foi um presente da Pra. Voni a todos por toda a sua ajuda e paciência.

Mais uma vez, eu estava encostado a um pilar – desta vez pude ver o oceano. Acho que ninguém me ofereceu comida nem bebida porque sou magro demais. Ninguém pensa que eu posso digeri-los – e eles provavelmente estão corretos. ☹

Essa é apenas uma das muitas experiências que tive ao ajudar a Pra. Voni.

Voltarei e compartilharei mais com você.

É uma vida cheia de contrastes … emoção … lágrimas … e satisfação.

Eu acho que ela está certa sobre Deus ser tão bom com ela – e comigo também.

Atenciosamente,

Sr. Ben Gala

Sr. Ben Gala