INDO PARA O DESCONHECIDO Julho 1967

Eu estou de pé olhando através da escuridão, esforçando-me para ver a figura solitária do meu irmão apoiado por suas bengalas, com as costas contra a parede de um armazém. A doca está completamente vazio. Também aqui no convés do navio. Todos dos amigos e membros de familias já  foram para casa algumas horas atrás. Só meu irmão permanece lá e eu aqui. Muitas vezes eu estou chateado com ele para o que ele chama de “determinação” e eu chamo de “teimosia”. Mas, hoje as duas horas de manhã, eu sou grata ao vê-lo lá.

 

O barulho dos guindastes que carregaram este navio japonês cargueiro / passageiro e as vozes gritando dos trabalhadores já cessaram: o frete levou muito mais tempo para colocar dentro do návio do que foi esperado e estamos quase oito horas de atraso para sair do porto. Tudo é abençoadamente quieto e tranquila … a maioria dos passageiros já estão em suas cabines.

 

Minhas mãos sobre o corrimão sentam uma vibração silencioso. Os motores do navio estão começando, e meu estômago é tensa. Eu vejo como as linhas de papel crepe, coloridas em miríades de cores, que estão entre o navio e o cais estão levantadas para fora da água e, em seguida, quebram ou caem fora do cais e o návio. Eu nunca tinha entendido a experiência emocional de assistir a separação do navio do cais.   Hoje à noite eu entendo, com lágimas. O návio se vira para o mar e a figura de meu irmão se torna menor, em seguida, desaparece na escuridão.

 

Continuo ali de pé, olhando para a escuridão, com intervalos de luz no porto, enquanto o návio lentamente sai do porto.    Eu ainda tenho as minhas mãos sobre o corremão assistindo como os rebocadores jogam fora suas linhas de nosso navio,  e o piloto nos  navega  para fora, entrando nas ondas do Oceano Pacífico.  Meu irmão está dirigindo o carro dele para um hotel em Long Beach, CA. e nosso návio está deixando tudo que conheço nos Estados Unidos lá, atrás.

 

Uma brisa fresca do mar me pega enquanto o navio aumenta sua velocidade. Eu tremo: afastando-se do corrimão passo minha mão para tirar as lágrimas do meu rosto, andando para a nossa cabine onde os meus filhos e marido estão dormindo.  Silenciosamente, entro a cabine e em seguida, vou para meu beliche de baixo. Os novos sons de um tilintar de copo de vidro no seu suporte, as cortinas tocando              contra a janela rondada,  os meus filhos mais jovens mexendo em seu sono, a vibração dos motores do navio … novos sons, uma nova vida.

 

Estou preparado para isso? Eu não sei. Estudei sobre comunicação inter-cultural, choque cultural, culturas diferentes e atitudes. Mas o estudo e preparação, são diferentes do que vivê-la. Como é que os meus cinco filhos vão se adaptar? 15, 14, 12, 5 e 3 anos:  eu não tenho idéia. Eu reconheço que, pelos padrões da maioria das pessoas, esta mudança para o Brasil é absolutamente louco! Às vezes, durante os   últimos anos de preparação, eu também passei horas de dúvida. Mas cada passo de obediência nos levou para o próximo passo até que, esta noite, estamos neste navio, navegando para uma nova vida.

 

Senhor, nós estamos indo definitivamente para o desconhecido. Não tenho nada para a segurança que não seja O Senhor. Por favor, cuidar de nós. Mostre-me as coisas e pessoas como o Senhor as vê. Dá-nos sabedoria. Protege os meus filhos e marido e eu. Quero pendurar firmemente em Sua mão. . .

 

Os sons tranquilos e um corpo e mente exausta ajuda-me adormecer. Amanhã vai começar a próxima fase da minha vida.

 

– Voni

 

 Você já deixou tudo para trás emocionalmente ou fisicamente?

você pode identificar com as emoções do navio partindo de tudo voce conhece?

Sabe como é bom  estar pendurada na mão de Deus?     

globe7
God Is Aware

                                                                             

2016 Abril

Mais uma vez estamos entrando o desconhecido.  Joe e eu partiremos do Brasil dia 3 de maio.

Andando caminhos no desconheido sempre faz parte de nossas vidas, andando com O Senhor.  Que me dá coragem é o fato que Ele está segurando as nossas mãos.


ESTES VERSÍCULOS ME AJUDAM.

 

Isa 41: 9-13

9 Eu te tirei os confins da terra,

dentre os seus mais eu te chamei.

Eu disse, ‘Tu és o meu servo;

Eu te escolhi e não te rejeitei.

10 Portanto, não temas, porque eu sou contigo;

não te espantes, porque eu sou teu Deus.

Eu te fortaleço, e ajudá-lo;

Eu o segurarei com a destra da minha justiça.

 

11 “Todos os que tem raiva contra você

será certamente envergonhados e confundidos;

aqueles que se opõem a você

serão como nada e perecerão.

12 Ainda que você procurar por seus inimigos,

você não vai encontrá-los.

Aqueles que travar uma guerra contra você

serão absolutamente nada.

13 Porque eu sou o Senhor, vosso Deus,

que toma conta de sua mão direita

e diz-lhe: Não temas;

Vou te ajudar.

NVI

Into the Unknown

I am standing on the ship’s deck,  staring through the darkness, straining to see the lone figure of my brother leaning on his canes, with his back against a warehouse.  The dock is completely empty, as is the deck of our ship. All of the friends and well-wishers went home several hours ago.  Only my brother remains.  Many times I’m upset with him for what he calls “determination” and I call “stubbornness.”  But, this morning, at 2 a.m., I am thankful to see him there.

 

The noise of the cranes loading this Japanese freighter/passenger ship and the shouting voices of the workers has ceased: the freight took much longer to load than expected and we are almost eight hours late leaving port.  All is blessedly quiet… most of the passengers are already in their cabins.

 

My hands on the railing feel a quiet vibration.  The ship’s motors are starting, and my stomach is tense. I watch as the myriad colored streamers of crepe paper between the ship and the dock rise up out of the water, growing taut: then breaking or falling off the dock or ship.  I had never understood the emotional experience of watching the separation of  a ship from the shore.  Tonight I do.  Our ship moves and the figure of my brother grows smaller, then fades into the darkness.

 

I continue standing there, looking at the darkness with intervals of light from the port as we slowly glide by.  I still have my hands on the railing as the tugs throw off their lines to our ship, and we sail out into the Pacific Ocean, leaving Long Beach, CA. and the United States behind us.

 

A cool ocean breeze picks up as the ship increases her speed.  I shiver.  Turning away from the railing I brush the tears from my face and head for the cabin where my children and husband are sleeping.  I slip into the cabin. Without turning on any light, I get ready and slide into my bottom bunk.   The new sounds of a glass tinkling in its holder, the porthole curtains brushing against the window,  my younger children stirring in their sleep, the vibration of the ship’s motors … new sounds, a new life.

 

Am I prepared for it?  I don’t know. I’ve studied about cross-cultural communication, culture shock, different cultures and attitudes.  But studying and preparation, are different than living it.   How will my five children do?  15, 14, 12, 5 and 3   I have no idea.  I recognize that by most people’s standards, this move to Brazil is absolutely crazy!  At times, during the past years of preparation I, too, wondered about all of this move.  But each step of obedience led to the next until, tonight, we are on this ship, sailing into a new life.

Lord, we’re definitely going into the unknown.  I have nothing for security other than You.  Please watch over us.  Show me things and people as YOU see them.  Give us wisdom.  Protect my children and husband and I.  May I hang tightly onto Your hand. . . 

 

The quiet sounds and an exhausted body and mind help me fall asleep.  Tomorrow will start the next phase of my life.

  • Voni

Have you ever left everything behind emotionally or physically?
Can you identify with the emotions of the ship pulling away from the land?

How good are you at hanging onto God’s hand?      

2016 April
Once again, going into the unknown as Joe and I leave Brazil to go to the US on May 3rd.  Walking into the unknown never stops as we walk with the Lord.  What gives me courage to walk is because He is holding our hands.              globe7

  THESE VERSES HELP!

Isa 41:9-13

9 I took you from the ends of the earth,

from its farthest corners I called you.

I said, ‘You are my servant’;

I have chosen you and have not rejected you.

10 So do not fear, for I am with you;

do not be dismayed, for I am your God.

I will strengthen you and help you;

I will uphold you with my righteous right hand.

 

11 “All who rage against you

will surely be ashamed and disgraced;

those who oppose you

will be as nothing and perish.

12 Though you search for your enemies,

you will not find them.

Those who wage war against you

will be as nothing at all.

13 For I am the Lord, your God,

who takes hold of your right hand

and says to you, Do not fear;

I will help you.

NIV