Life Doesn’t Stop…

Life doesn’t stop when important things happen, when dreams are realized. Instead, there is a pause – it can be one of minutes or hours – rarely of days. Then one pics up the changes and moves ahead, learning how to live in the new circumstances. That includes becoming a citizen of two countries. Voni

A Vida Não Para…

A Vida Não Pára
A vida não pára quando coisas importantes acontecem, quando os sonhos são realizados. Em vez disso, há uma pausa – pode ser uma de minutos ou horas – raramente de dias. Dái, aceitamos as mudanças e avançamos, aprendendo a viver nas novas circunstâncias.
Isso inclui tornar-se uma cidadã de dois países.

 

Voni Pottle

Three Countries

I am a citizen of three different countries: two I chose (The Kingdom of God and Brazil,) one I was born into (the United States.)

I am a descendant of generations of people from all over Europe and the Iberian Peninsula. I am in awe of what my DNA shows, and it proves that each one of us is truly unique.   No one else in the world has the same DNA. Because of my ancestors and their choices, I am now an American citizen.

Starting as a small child, my parents taught me life principles.  I learned to love God and talked to Him all the time.  He was the only one who knew my innermost thoughts, questions, doubts and fears.

My parents didn’t realize it, but they were teaching my brother and I a mixture of laws, culture and principles. The cultural “rules” of living on a farm in that part of the US, along with principles from God’s Kingdom were mixed in my mind – all part of one.

I grew to become an adult, married in 1950, had children, and began teaching them even as I continued learning.  My life focus enlarged to include people beyond my own family and more areas outside of the Pacific Northwest, as we moved to Texas and then to Oklahoma.

I discovered that some heath and cultural rules varied, depending upon where one lives, even in the US.  One of my lessons?  I got undulant fever (nasty) from drinking raw milk in a farming community. I’d never heard of undulant fever, although I was raised on a farm in the state of Washington.  Some big differences.
My world experiences became larger.

When we moved to Brazil in 1967, I was thrust into a language and cultural rules, totally different from what I had previously known: from how you sit at the table and place your hands, cross the street, greet others, leave a group of people, how to wash dishes in cold water, drink water only out of a tall clay filter, how to confront demons –  and myriads of other unwritten rules.

I was bombarded and confused.  So were our children. How could I maintain any quality of stability in our home.  Unconsciously, I maintained the principles of the Kingdom of God in our home – even as we changed some of our daily habits.

The more I learned the Portuguese language, the more I became more aware of the less obvious cultural principles. My first three years in Brazil were emotionally painful and physically exhausting, as I essentially was forced to make choices, almost died from hemorrhaging as I lost a baby, and gradually learned to better understand and love the people.

Many of the outer habits changed; that was comparatively easy. The tough choices were as I examined and reviewed everything I’d learned since a child, consciously choosing my personal path based upon God’s principles.  Sometimes I threw away Brazilian standards, sometimes the US standards, other times I threw away both, when neither one fit into God’s standards.

Today, 50 years later, I still must do the same almost daily.  At 85, a widow living in the United States (a country I no longer recognize), what choices do I have before me? Will I follow the cultural “rules” for a widow living in the United States, or those for a widow living in Brazil, or follow what God puts before me to do?   What about my attitudes? Am I living in integrity before God?  Am I honestly willing to go or stay as He leads me?

 One of the first major things I will do is go to Brazil where my Brazilian citizenship papers are waiting for me.  Why Brazil?  I’m not sure I know how to explain. I will try.

I love so many people, in the US, in Brazil, and other countries. However, (the only way I know how to describe it) God placed a special love within me for Brazil. Brazilian citizenship gives me some advantages and some responsibilities.  And it places me in Brazil – not as an American – but as a Brazilian, like all those around me.
Paul said in 1 Cor 9: 22b-23
“I have become all things to all people so that by all possible means I might save some. 23 I do all this for the sake of the gospel, that I may share in I                      ts blessings. “

I want to clarify that God leads each one of us: what He has me do as I follow Him is not what He will ask you to do.  He has a unique purpose for each one of our lives, just as each one of us has a unique DNA.   You and I each have the responsibility of going to Him to learn.  If we search for Him, we will find Him.  Perhaps not in the way we expected, but He is here for each one of us.

All I know? Today I know I am to walk in what He puts before me to do, to be aware of His love and concern for me.

I have become a citizen of three countries and the Kingdom of God is the country that has precedence in my life.  What will the next choices be?  I have no idea. I will learn as I go. 

How is it with you?

 

-Voni

 

Trés Países

Eu sou uma cidadã de três países diferentes: dois deles eu escolhei (o Reino de Deus e o Brasil), o outro eu nasci (Estados Unidos).

Sou descendente de gerações de pessoas de toda a Europa e da Península Ibérica. Estou impressionada com o que o meu DNA mostra, provando que cada um de nós é verdadeiramente único. Ninguém mais no mundo tem o mesmo DNA. Por causa dos meus antepassados ​​e suas escolhas, agora sou cidadã americana.

Começando como uma criança pequena, meus pais me ensinaram princípios da vida. Aprendi a amar a Deus e conversei com Ele o tempo todo. Ele era o único que conhecia meus pensamentos, perguntas, dúvidas e medos mais íntimos.

Meus pais não perceberam isso, mas eles estavam ensinando meu irmão e eu uma mistura de leis e princípios: as “regras” culturais de viver em uma fazenda naquela parte dos EUA, juntamente com os princípios do Reino de Deus. Eles estavam misturados em minha mente – tudo de uma parte.

Eu cresci, quando adulta, me casei em 1950, tive filhos e comecei a ensiná-los, mesmo enquanto continuava aprendendo.  Com tempo, o foco da minha vida foi ampliado para incluir pessoas além da minha própria família e mais áreas fora do noroeste do Pacífico, quando nos mudamos para o Texas e depois para o estado de Oklahoma.

Descobri que algumas das regras para saúde e costumes culturais variaram, dependendo de onde se vivia, mesmo nos EUA. Uma das minhas lições? Eu fiquei com febre ondulante (desagradável) por beber leite em uma comunidade agrícola. Eu nunca tinha ouvido falar de febre ondulante, embora eu fosse criada em uma fazenda no estado de Washington.  Diferenças importantes!

As experiências do meu mundo se tornaram maiores.

Quando nos mudamos para o Brasil em 1967, fui empurrada para uma linguagem e regras culturais totalmente diferentes das minhas anteriormente: por exemplo, como sentar na mesa e coloca suas mãos, atravessar a rua, cumprimentar os outros, deixar um grupo de pessoas, lavar pratos com água fria, beber água apenas de um filtro de argila alto, como enfrentar os demônios – e muitas outras regras não escritas.

 

Fui bombardeada e fiquei confusa. Os nossos filhos também. Como eu podia manter a estabilidade em nossa casa?

Inconscientemente, eu mantive os princípios do Reino de Deus em nossa casa – mesmo mudando alguns de nossos hábitos diários.

Quanto mais aprendia a língua portuguesa, mais me tornava consciente dos princípios culturais menos óbvios. Meus primeiros três anos no Brasil foram emocionalmente dolorosos e fisicamente esgotantes, já que essencialmente fui forçado a fazer escolhas, quase morri de hemorragia quando perdi um bebê e gradualmente aprendi a entender e amar melhor as pessoas ao meu redor.

Muitos dos hábitos exteriores mudaram; Isso foi comparativamente fácil. As escolhas difíceis foram como eu examinei e revisei tudo o que aprendi desde criança, escolhendo conscientemente meu caminho pessoal com base nos princípios de Deus. Às vezes, eu joguei fora os padrões brasileiros, às vezes os padrões dos EUA, outras vezes eu joguei fora os dois, quando nenhum deles se encaixava nos padrões de Deus.

Hoje, 50 anos depois, eu ainda devo fazer o mesmo quase que diariamente. Aos 85 anos, uma viúva que vive nos Estados Unidos (um país que eu não reconheço mais), quais escolhas eu tenho antes de mim? Vou seguir as “regras” culturais para uma viúva que vive nos Estados Unidos, ou aquelas para uma viúva que vive no Brasil, ou sigo o que Deus coloca antes que eu faça? E as minhas atitudes? Estou vivendo em integridade diante de Deus? Estou honestamente disposto a ir ou ficar como Ele me conduz?

Uma das primeiras coisas principais que vou fazer logo é ir ao Brasil, onde meus documentos de cidadania brasileira estão me esperando. Por que o Brasil? Não sei se sei como explicar. Eu vou tentar.

Eu amo tantas pessoas, nos EUA, no Brasil e em outros países. No entanto, (a única maneira de saber como estou me sentindo) Deus colocou um amor especial dentro de mim para o Brasil. A cidadania brasileira me dá algumas vantagens e algumas responsabilidades. E me coloca no Brasil – não como um americano – mas como brasileiro, como todos aqueles que me rodeiam.

Paulo disse em 1 Cor 9: 22b-23

“Eu me tornei tudo para todas as pessoas para que, por todos dos meios possíveis, eu possa salvar alguns. 23 Faço tudo por causa do evangelho, para que eu possa participar das minhas bênçãos. ”

Quero esclarecer que Deus lidera cada um de nós: o que ele faz de mim, enquanto eu o sigo, não é o que ele pedirá para você fazer. Ele tem um propósito único para cada uma de nossas vidas, assim como cada um de nós tem um DNA único. Você e eu temos a responsabilidade de ir a Ele para aprender. Se O buscarmos, O encontraremos. Talvez não da maneira que esperávamos, mas Ele está aqui para cada um de nós.

 

Hoje eu sei que devo andar no que Ele coloca diante de mim Ele me lidera, e estar ciente de Seu amor e preocupação por mim.

Eu me tornei um cidadã de três países.  O Reino de Deus é o país que tem precedência na minha vida.
Quais serão as próximas escolhas? Eu não faço ideia. Eu vou aprender como eu vou.

 

Como tudo disto está com você?