Passaportes para Onde?

AVISO – Este está mais longo que o normal …

Mas estou com esperança de que abençoará você …

Passaporte
[ˈPasˌpôrt]
substantivo
um documento oficial emitido por um governo, certificando a identidade e a cidadania do titular e autorizando-o a viajar sob sua proteção para e de países estrangeiros.
sinônimos: documento de viagem, autorização de viagem, visto, bilhete de identidade, ID, laissez-passer
 
Eu tenho três passaportes. Cada um é de um país diferente.
Há uma lista de qualificações diferentes para cada passaporte. No entanto, cada um tem o mesmo objetivo fundamental: permitir-me viajar entre países.
 
Há alguns países nos quais não tenho permissão para entrar, pois os passaportes que tenho não são reconhecidos lá. Preciso saber onde cada passaporte é válido antes de viajar e confirmar que não violei nenhum requisito.
Isso faz sentido para você?
Os três países onde eu tenho passaportes:
– Estados Unidos (onde nasci)
– Brasil (que envolve muito aprendizado, muitos desafios)
– O Reino de Deus (também continuo aprendendo com este)
Os Estados Unidos
Agora, esse foi fácil para mim – e para muitos de vocês.
Nasci em uma maternidade em Ontário, Oregon, filha de dois cidadãos americanos. Era uma cidade pequena, perto da fronteira com Idaho. Meu pai era co-proprietário com o irmão, de uma grande fazenda em Idaho.
Não vou entrar em detalhes aqui sobre a vida e como foi diferente. Eu tenho a lembrança de um empregado pulando no curral e me agarrando antes que as ovelhas me pisassem. Eu tinha cerca de 3 anos e não tenho ideia de como cheguei lá.
 
Como a maioria dos americanos, eu não dava muito valor à minha cidadania americana. Muitos anos se passaram até que eu percebesse o quanto eu era abençoada por ter nascido nos EUA.
 
Brasil – nos mudamos para lá em 1967
Essa cidadania tinha um preço inerente. Não muito relacionado a dinheiro – embora o dinheiro esteja envolvido em quase tudo que se faz …
O preço foi – cinquenta anos vivendo e aprendendo a entender por que as pessoas fazem o que fazem no Brasil.
– Aprendendo a perdoar quando as pessoas que estão nos ajudando roubam de nossa casa.
– Aprendendo que os ovos colocados no congelador ainda podem ser fritos ou mexidos.
– Aprendendo que eu poderia levar para casa a carne cortada da carcaça de uma vaca pendurada ao ar livre e coberta por moscas, lavar, limpar e cozinhar – sabendo que o calor mata todos os germes.
– Aprendendo a viver sem telefone (custava US $ 1000 para comprar uma linha telefônica) – nenhuma linha telefônica causa desafios e aventuras inesperados.
– Aprendendo sobre o espiritismo e como isso afeta, controla e pode destruir vidas.
     E como expulsar os maus espíritos (isso não é brincadeira.).
– Aprendendo a língua portuguesa. Interessante. Quanto mais eu entendo a linguagem, mais a cultura faz sentido para mim.
– Aprendendo e aprendendo mais.
– Começamos um pequeno grupo de música e fizemos três Long Plays (LP’s) que foram vendidos em todo o país.
– Começamos uma escola de ISL (Inglês como segunda Língua) … que pagou algumas de nossas contas.
– Começamos uma igreja em nossa escola de inglês – depois a mudamos para a casa que construímos em uma das montanhas que circundava Belo Horizonte. A vista era incrível!
– A mão de Deus estava sobre isto que se segue …
     Eu trabalhei com Maranatha! Música … Eles me deram as fitas do Kid’s Praise & Salty (alguns de vocês podem se lembrar da popularidade desse grupo com crianças nos anos 80?). Traduzimos e gravamos várias. Isso foi transformador!
Isso é apenas uma parte da minha vida fazendo coisas que eu nunca sonhei em fazer – e continua.
Todos esses anos eu estava interessada em obter minha cidadania brasileira … mas nunca aprendi como. . . era complicado e caro…
Em 1985, a Igreja Quadrangular no Brasil solicitou que as Missões Quadrangulares Internacionais nos reconhecessem como missionários no Brasil. Eles fizeram isso e em 1986 nos tornamos oficialmente missionários da Igreja Quadrangular.
Em 1987, perdi meu primeiro casamento de 39 anos. Motivo: infidelidade do meu ex-marido e filhos fora do nosso casamento.
De volta aos EUA (a pedido das Missões Quadrangulares), eu estava perdida. Deus me guia.
Em 1991, casei-me com Joe Pottle Sr. Ele era um viúvo recente: nosso casamento foi um choque para todos, inclusive para nós!
Em 1992, ele me levou à Nova Inglaterra para conhecer muitos de seus familiares e amigos. Em 1993, eu o levei ao Brasil para conhecer meus amigos e entes queridos.
A partir de então, o ensino no Brasil se tornou uma parte importante de nossas vidas.
Acabamos nos mudando para Natal/RN, Brasil, no ano de 2000. Estávamos morando lá até o final de 2011, quando Joe voltou aos EUA por causa de sua saúde.
Durante esses 12 anos, Joe ensinou (comigo traduzindo) em diferentes Estados, principalmente no RN, onde morávamos. Nós dois formamos uma boa equipe e nós gostávamos de trabalhar juntos, ensinando quaisquer assuntos.
 
Esses tempos são inesquecíveis e o que Deus fez foi além do nosso entendimento. Hoje, nove anos depois, as pessoas ainda falam sobre o que aprenderam. Sou muito grata a Deus pela maneira como Ele usou a filha de um fazendeiro e um homem que tinha uma empresa de construção em aço para compartilhar Sua Palavra e Seu amor com os outros.
Nunca recebemos passaportes, mas tínhamos “visto de permanência” – o equivalente ao “green card” nos EUA. As aventuras foram muitas. A fidelidade de Deus estava lá – sempre.
Após quase 27 anos de casamento, morando em Portland, Oregon, Joe Pottle Sr foi para casa para estar com Deus em fevereiro de 2017.
Em novembro de 2017, recebi minha cidadania brasileira. A mão de Deus estava nisso!
No entanto, mais uma vez eu estava perdida. Tem sido mais três anos de Deus andando comigo. Ele está fazendo mudanças na minha vida. Vou compartilhar algumas delas e como – ao segui-Lo.
Os acréscimos listados ao meu passaporte representam mais aventuras e lugares pelos quais Deus me levou. Além de tudo isso, seguir os requisitos do meu passaporte do Reino de Deus faz com que minha vida faça mudanças radicais.
Um deles é confiar em Deus quando não tenho ideia de onde Ele está me levando. Nestes meses, sempre que alguém me faz uma pergunta sobre o meu futuro, tenho que responder “não sei”, pois não sei. Os Estados Unidos? Brasil? Meus filhos? Amigos?
“Eu não sei.”
 
Três passaportes. Três culturas diferentes. Constantemente causando a necessidade de decisões de vida.
E você? Quais são os seus passaportes?
Você sabe que pode confiar nEle?

E

Até na sua velhice, quando tiverem cabelos grisalhos, eu sou aquele, eu sou aquele que os sustentará. Eu te fiz e eu te carregarei; Eu te sustentarei e te salvarei. Isaías 46: 4 

-Voni-

AS AVENTURAS DE CELLI

Oi lá! Meu nome é Celli.
Eu sou o celular de Voni: você sabe, aquele que ela carrega na bolsa, no bolso ou na mão. Entre o computador e eu, conseguimos mantê-la bastante ocupada.
Mas, na semana passada, ela virou a mesa para mim – e eu não gostei muito disso. Embora isso tenha quebrado minha rotina normal e eu tenha me aventurado.


Foi assim.
Na quinta-feira, 7 de novembro, Voni e seu filho, Jonathan Hall, estavam fazendo as malas finais antes de irem ao aeroporto para voar de Miami para Brasília. Eu estava precisando ser recarregado antes da viagem, então Voni me colocou em um daqueles carregadores circulares. Quando ela me colocou, enviei uma mensagem para lembrar e me pegar. Ela se deu uma nota mental para movimentar sua memória, me colocou no carregador e fez o último trabalho que ela tinha que fazer no computador antes de fechá-lo.

Jonathan a chamou em voz bem alta, dizendo que ele estava pegando as malas e que era melhor ela se apressar. Ela rapidamente fechou o computador, colocou-o na sua bolsa, virou-se e puxou-o para trás. Eu gritei para ela se lembrar de mim! Mas não adiantou. Aqueles dois seres humanos me deixaram alta e seca em cima da mesa ao lado do sofá, ficando mais recarregado do que eu precisava.

Soube depois que ela percebeu que eu não estava com ela, no caminho do aeroporto.
Eu acho que ela teve alguns minutos de pânico, depois se lembrou do versículo “Todas as coisas funcionam juntas para o bem daqueles que amam a Deus e estão andando de acordo com Seus propósitos”.

Ela disse a si mesma que de alguma forma isso deve ser o
melhor … E acabou que tive muitos momentos especiais!
Voni e Jonathan juntaram suas cabeças e as datas e elaboraram o plano a seguir.
– Michelle, Patrick e Mila deixaram Miami – na noite seguinte, indo ao Rio de Janeiro para ver a avó de Patrick – e eles me levaram, Celli, com eles !!!!
Minha primeira vez no Rio de Janeiro! Felizmente, eles me tiraram das malas e me colocaram em uma janela fora do caminho – mas onde eu podia olhar e ver o sol e os diferentes azuis do oceano e do céu. Eu amei! Eu também pude assisti-los com Mila, sua filha bebê. Agora, isso foi divertido!

Fiquei naquele peitoril da janela até quinta-feira, quando Jonathan chegou lá. Eu fui com todos eles (Jonathan, Michelle e Patrick), onde eles encontraram com Stephanie (outra filha) na área onde Hillsong iria fazer um show na noite de quinta-feira. Stephanie está trabalhando com Hillsong. Então todos a ajudaram – e eu estava com eles. Agora que isto foi realmente divertido!

Eu acompanhava a turma o tempo todo. Então eu pude ouvir muita música e elogios de milhares! Foi absolutamente incrível!

Algum tempo depois da meia-noite, Jonathan e eu voltamos para onde ele estava hospedado. Ele caiu na cama – e me deixou em sua pasta … então eu não vi muito.
Sexta de manhã fomos ao aeroporto (eu ainda estava na pasta dele – nada confortável, posso lhe dizer!)

Tudo que eu podia ver era – nada. Mas eu pude ouvir – embarcamos, voamos cerca de duas horas ou mais, desembarcamos. Eu pude ouvir Jonathan conversando com muitas pessoas diferentes em reuniões durante o dia. Ele também estava debatendo sobre como e quando ele poderia me levar ao apartamento de um amigo em Brasília, onde ele poderia me deixar para Voni me buscar na segunda-feira à tarde.

Eu esperava ouvir o show da Hillsong em Brasília no sábado à noite , mas essa não foi a minha sorte. Jonathan me deixou com seus amigos no sábado, antes de ir ajudar no show. Haveria milhares lá, incluindo a esposa do presidente Bolsonaro e vários líderes do governo. Isso representou alguns desafios interessantes para a segurança, pois o show foi aberto … um enorme palco e um show maravilhoso … ouvi isso mais tarde de Voni.

O resto da minha história é chato. Fiquei quieto no apartamento até Voni e suas amigas me buscarem na segunda-feira à tarde. Eu tenho que admitir que fiquei feliz em ver Voni mais uma vez, mesmo que ela tenha me deixado para trás.
E ela ficou feliz em me ver. Ela não me deixa fora de vista.

A vida recuperou novamente.

Escreverei mais, mas espero poder fazê-lo sem que ela me deixe para trás!
Eu gosto dessa maneira de me comunicar.
Agora vejo porque Voni gosta de escrever.
Até a próxima!

Celli

COMO ESTÁ A MANEIRA QUE ESTOU VIVENDO?

8 de outubro 2019   Como que Julgamos os Outros? 

Quantas vezes julgamos as ações dos outros pelo que Deus nos diz para fazer?

Tenho um estilo de vida um pouco diferente. Tenho três quartos em lugares diferentes do mundo, poucas posses exceto roupas, computador e eletrônicos, (e alguns centenas de livros na minha biblioteca do Kindle. Como que gosto do Kindle.. fico com muitos livros que levo comigo 😊, algumas Bíblias, duas ou três lembranças diminutos que ficam comigo para me dar um sentimento de continuidade na minha vida. 

Lidando com o peso das malas nos aviões, tentando reduzir constantemente o tamanho (não tenho muito sucesso com isso!) 

Em Portland, Oregon, tenho uma cadeira de balanço; na Geórgia, nenhum dos móveis do meu quarto são meus; em Natal, Brasil, meu “ninho” fica num apartamento bem pequeno … embora eu esteja lá apenas por curtos períodos de tempo e alugue um pouco, lá me sinto “em casa.” 
Agora, em novembro, os planos são para eu ir a Brasília e ficar com alguns das minhas “filhas” por um período de tempo. Eu não tenho ideia agora por quanto tempo?

Eu não encorajaria ninguém a ter esse tipo de vida. Mas é aqui que meu Pai amoroso me colocou. 

O que é que me dá alegria? é escrever e falar sobre Ele – compartilhar as Boas Novas dEle que estão em nossas vidas – ajudando outros entender o que elas realmente significam.

Às vezes me sinto encorajado pelas respostas das pessoas. Em outros momentos, choro por minha falta de capacidade de compartilhar e ser compreendida. 

Às vezes me alegro com o que Deus está fazendo: minha vida é cheia de histórias e memórias incríveis. 
Outras vezes, a solidão acampa à minha porta, e o Senhor precisa me consolar. 

 Isto é minha vida. Eu não me arrependo. Eu tenho que confiar nEle e me segurar na Sua mão. 

Não sinta pena de mim … minha vida é rica e cheia. 

Mesmo que eu não digo que esse estilo de vida seja para você;  eu digo, por favor, abra seus olhos para ver o que Deus está querendo que você faça onde está. 

Quem é que você conhece quem precisa do amor e encorajamento que vem do Senhor? 

Quais são pequenas coisas que você pode fazer para abençoar os outros? É incrível como Deus pega essas pequenas coisas e as transforma em coisas maravilhosas. 

Você não precisa viver meu estilo de vida e não ter uma casa permanente. Mas nosso Senhor quer que você alcance as pessoas ao seu redor, com o amor dEle (não o seu).

-Voni

Não esperava por isso…

preciso escrever para saber o que estou pensando…

Eu quero ir para a cama, mas primeiro, escrevo algo para todos vocês. Estou aprendendo que, quando coloco meus pensamentos e emoções no papel, isso me ajuda a esclarecer as coisas para mim mesma. Hoje à noite, minhas emoções sobre minha filha Lanae e seu futuro marido me surpreenderam.

Os dois estão com mais de 60 anos,  e recentemente descobriram a maravilha do amor entre eles. Ambos estão surpresos por sua felicidade. Conhecendo algumas das angústias passadas na vida de cada um deles  individualmente, acredito que essas mesmas angústias lhes ensinaram o significado da palavra “felicidade”, para que possam experimentá-la em novas profundidades.

Regozijo-me – e oro por eles, pela proteção de Deus sobre eles, enquanto eles formam um círculo familiar ampliado. Porém, estou trabalhando com emoções inesperadas da minha parte! Isso é uma surpresa para mim. Completamente imprevisto!

Enquanto observo tudo o que está acontecendo, lembro como Joe e eu ficamos delirantemente felizes quando descobrimos que nos amávamos. Entrando em nossos 60 anos, nós dois estávamos marcados pela dores do passado. Mas Deus nos mudou, virando nosso mundo de cabeça para baixo (literalmente).

Tivemos mais de 26 anos de uma vida rica e desafiadora juntos. Mas agora, agora mesmo, minhas emoções estão me dando um tapa na cara, de solidão profunda.

Então, o que eu faço agora?

De volta aos Salmos 23.

“O Senhor é o meu pastor, NADA ME FALTARÁ”

Mais uma vez eu devo recorrer ao Espírito Santo para encher meu coração de paz e o conhecimento de que ESTA é uma promessa de Deus.

Se eu confiar nele, nada vai me faltar.

Nem sempre entendo o como e por que.

Eu só sei que não vai me faltar.

A alegria pode estar entrelaçada com algumas lágrimas: isso só torna a alegria mais rica.

Nós podemos confiar em Deus.

Não podemos confiar em nossas emoções.

Podemos nos alegrar com a felicidade daqueles que amamos.

-voni

O Dia que Descobri Salmos 139 – ou – O Dia que Quase Caí do Ônibus

Belo Horizonte, MG Brasil 
1980 

O ônibus lotado desviou inesperadamente. 
Estou no degrau do lado de fora com a  porta aberta: o último passageiro a embarcar. Os corpos dos outros passageiros me impedem de entrar no ônibus. Enquanto me segura com as duas mãos para salvar minha vida, uma sacola de livros pendurada no ombro, estou preocupado. Não poderia estar aqui! Mas não há como sair, a menos que eu seja expulso por acidente? 

 
Há uma mudança nos corpos dos passageiros, posso subir um degrau. 
Ainda não estou lá dentro, então a porta não pode se fechar  … mas pelo menos estou mais perto do meu objetivo de segurança. 

 
Por que essa mulher de 48 anos está amontoada neste ônibus cheio de corpos vivos, que se chamam “passageiros.?” 

 
Alguém já ouviu da palavra missionário? Bem, eu sou um exemplo vivo (pelo menos agora) de um.  

Só que eu não moro na floresta amazônica. Em vez disso, moro muma casa simples em uma cidade de mais de 3 milhões de pessoas com uma selva de arranha-céus e pegando um ônibus para me levar para o outro lado dessa selva, para que eu possa dar uma aula de inglês a um estudante que é empresário e precisa ser mais fluente na minha língua nativa. 

 
Por que estou fazendo isto? Duas razões: precisamos ganhar dinheiro com comida e e pagar aluga para nossa família E minhas aulas de inglês para conversação sempre incluem aprender mais sobre a cultura brasileira e compartilhar coisas que estou aprendendo com Deus. 
Adoro essas aulas – e evidentemente meus alunos também, pois ensino empresários, líderes médicos e parte da elite governamental. 
 
O ônibus cambaleia novamente, há uma troca de corpos (talvez alguém tenha saído?) Consigo dar um passo mais alto, puxando minha mochila de livros comigo, e a porta se fecha – comigo dentro! Que alivio! 
 
Esse ônibus cheio de “brasileiros amigáveis” não são tão amigáveis quando minha mochila de livros bate em corpos ao meu redor. As pessoas ao meu redor perguntam por que essa mulher, obviamente estrangeira, está nesse ônibus? Eventualmente, um homem se levanta e me leva para o seu lugar. Eu afundo no banco, agradecida, colocando a bolsa de livros no meu colo para que ninguém mais sinta incômodo. 
Quando estou sentado, os que estão ao meu redor respiram aliviados e depois me esquecem. Estou feliz por ser esquecida! 
Quase uma hora depois, chegamos no bairro onde meu aluno mora. Desço os degraus da saída, aliviada por poder me mover novamente 

Chegando na casa, como sempre, a empregada abre a porta para mim com um sorriso. Nós gostamos uma de outra. 

 
Ela me diz que meu aluno está atrasado (como sempre) e pede que eu me sente à mesa e tome um café quente com leite quentinho, pãezinhos frescos, fatias de presunto e queijo, algumas frutas frescas do mercado de rua. (enquanto escrevo isso, fico com água na boca. Eu amo o café da manhã tradicional brasileiro!) 

 
Enquanto tomo meu café (quente e forte), tiro minha Bíblia da sacola e começo a ler os Salmos 139. Já li muitas vezes – mas hoje, sabendo o quão perto estava de cair daquele ônibus, as palavras de Davi assumem um novo significado. 
 
Senhor, examinaste o meu coração 
    e sabe tudo sobre mim. 
2 Você sabe quando me sento ou levanto. 
    Você conhece meus pensamentos, mesmo quando estou longe. 
3 Você me vê quando viajo 
    e quando eu descanso em casa. 
    Você sabe tudo o que faço. 
4 Você sabe o que eu vou dizer 
    antes mesmo de eu dizer, Senhor. 
5 Você vai adiante de mim e me segue. 
    Você coloca sua mão de bênção na minha cabeça. 
6 Esse conhecimento é maravilhoso demais para mim, 
    bom demais para eu entender! 
versículos 1-6 
Se eu andar nas asas da manhã, 
    se eu moro nos oceanos mais distantes, 
10 até aí a tua mão me guiará, 
    e sua força me apoiará. 
versículos 9-10 

 
Aprecio as palavras enquanto as leio. Verdadeiramente, Deus estava comigo esta manhã! 
 
Meu aluno entra na sala. 
“Bom dia, Dona Voni”. 
“Bom dia Sr Eduardo 
Ele se senta à mesa, enquanto a empregada o serve. 
“Começaremos?” 
Ele pega seu café enquanto eu pego minha Bíblia. 
 
Eu sei como será a conversa esta manhã. 
Eu estou pensando quantas coisas aconteceram com ele que foram apertadas demais (close calls)Essa é a primeira expressão que vou ensinar a ele hoje. 
E quanto ele entenderá as palavras de Davi? 
Hoje, essa aula de conversação em inglês vai desafiar nós dois.. 

O Desafio que encarei – MEDO DO DESCONHECIDO 1968

É surpreendente quão rapidamente se escurece em Belo Horizonte – Brasil.  Não é surpreendente para aqueles que viveram lá por anos. Mas uma grande surpresa para esta mulher de 36 anos de idade, recém chegada do EUA. São apenas 8 horas da noite (20 horas – a maneira que contamos as horas no Brasil). Está escuro como meia-noite, “It is black as midnight”, não há muito crepúsculo aqui.

Meu marido acabou de me dizer que ele terá que voltar para casa mais tarde com um amigo que mora perto de nós no subúrbio, vivemos em um bairro um pouco isolado a cerca de 12 quilômetros (8 milhas) de onde estamos visitando, do outro lado da cidade de 2,5 milhões de habitantes. 

Minha pergunta óbvia, é: “Então, como eu e as crianças voltaremos para casa?”
Ele chega, pega a chave do carro e a coloca na minha mão, depois se vira para responder uma pergunta. “Problema resolvido em seu livro”.

O livro da minha mente começa a piscar sinais de alerta vermelhos
“Você não sabe dirigir a Kombi tão bem. Os seus pés podem alcançar os pedais?
Você nunca dirigiu para casa nesta cidade depois de escurecer – nem mesmo à luz do dia!
Você NÃO conhece as ruas tão bem, e a maioria delas não tem placa com seus nomes.
Você tem cinco filhos que você tem que levar para casa.
Como meu marido poderia fazer isso comigo?”

Saio com os pés arrastando, eu alegremente chamo nossos filhos: (pelo menos esperava que fosse alegremente).

Eu estava quase petrificada com medo.
Entramos nos 3 assentos da Kombi Volkswagen. Meu filho mais velho senta ao meu lado para me ajudar a ver onde estamos; minhas duas filhas no segundo assento posicionado pelas janelas de cada lado, nossos dois mais novos (3 e 5) no último assento, eu esperava que eles estivessem cansados o suficiente para adormecer. 

Eu ligo a chave e agradeço a Deus.
A Kombi enrola então depois um ronco alto, e nós estamos a caminho. 

Primeiro desafio – chegar e passar – o CENTRO da cidade: uma grande praça onde 8 ruas principais se cruzam.

Chegamos lá! Eu mudo para uma marcha mais lenta, com meus três mais velhos me guiando, estávamos dentro dos padrões de tráfego e viramos à direita em uma avenida principal saindo da praça. Agradecendo a Deus

Agora seguimos uma grande avenida de duas pistas, seguindo por vários quilômetros até nosso subúrbio. Desafios no caminho: pouca iluminação pública, faróis altos brilhantes, motoristas insistindo que há mais uma pista quando não há.

Até que ponto temos que desligar dessa rua movimentada para uma marginal que fica ao lado da avenida, onde então nos inclinamos para a direita? (Se isso soa complicado, é porque foi!) Sabemos que não haverá postes de luz, apenas faróis para escolher o caminho através das ruas de paralelepípedos e construções escuras, antes de virarmos para a rua de terra e areia onde nossa casa está localizada, a cerca de três quarteirões até uma pequena colina.

Mantemos nossos olhos tensos para encontrar aquela rua lateral. De repente, meu filho mais velho grita:

“Ei mãe! A rua lateral está chegando. Precisamos mudar de faixa ou não entraremos nela”.

Orando como louca, eu diminuí a marcha para entrar atrás de alguns carros, depois entrar naquela importante rua lateral.

Nós conseguimos! O carro poderia estar cheio de ‘high fives’… mas nós não sabíamos sobre isso em 1968. Mudando mais uma marcha, descemos pelas ruas escuras; Eu pulo quando um gato repentinamente atravessa os paralelepípedos na nossa frente.

Nós voltamos para a nossa rua de terra e areia, tentando manter a Kombi fora dos buracos.

Está escuro! SEM ILUMINAÇÃO NA RUA. Que diferença ela faz.

Nós estacionamos em frente a nossa garagem fechada. Meu filho mais velho pula do carro para destrancar o portão, conduzo cautelosamente a Kombi para a garagem, desligo a chave e, com um suspiro de alívio, me abaixo por um momento.

Então, reunindo todas as nossas coisas, subimos os degraus, destranca-mos a porta da frente e as luzes começaram a piscar em todos os cômodos.

Estamos em casa – e com segurança! Obrigada Deus!

“Quer você vire para a direita ou para a esquerda, seus ouvidos ouvirão uma voz atrás de você, dizendo: “Este é o caminho; andar nele.”  Isaías 30:21

Você sentiu a tensão sob a qual eu estava?
O medo do desconhecido. Consigo fazer isso?
Isso lembra você de algo pelo qual você passou?
O que podemos aprender quando temos que lidar com o medo?

Voni’

Quais são os assuntos que você gostaria que eu escrevesse? 

Eu valorizo muito seus comentários. 

Desconforto vem antes de Mudança?

Será que realmente é desconforto?
Eu sempre o chamei de mal-estar… saber que algo vai mudar sem saber o que e nem quando. Já perdi a conta de quantas vezes isto me aconteceu. Às vezes a mudança é pequena, em outras vezes é uma grande, às vezes alegre, outras vezes com lágrimas. Mas sempre com o sossego sabendo que Deus está fazendo algo novo.

Agora, Ele está fazendo isto comigo de novo.

Quando voltei para Portland no meio de fevereiro, esperava estar aqui um mês, e de volta para a Geórgia com Lanae, dai para o Brasil logo depois da Páscoa.

Alias, ainda estou em Portland. Deus não me permitiu ir embora (embora eu tenha tentado – várias vezes.) finalmente eu desisti.

Agora eu tenho esse mal-estar, o que significa mudança. Não sei o que é, nem quando virá, mas Deus está movendo as coisas para trás do palco da vida para a nossa família, espalhados em tantos lugares!
Então, eu espero e rezo… desejando usar este tempo aqui bem

Quando você orar por nós, por favor, ore por sabedoria, orientação e proteção. Suas orações fazem a diferença em nossas vidas.
E nosso Pai, com que não tenhamos medo da mudança quando a gente se lembre que Ele está segurando nossas mãos.

Voni Pottle

COMO ESTAR SATISFEITO & SABER ONDE PERTENÇO.

1º de julho de 2019 – Portland, Oregon
Segunda-feira à noite – quase 21hs – e ainda claro do lado de fora.
Preciso me levantar, fechar e trancar as portas, acender algumas lâmpadas, pegar um lanche para mastigar enquanto tento colocar no papel alguns dos meus pensamentos…

Hoje, o dia todo, eu tenho perguntado ao Senhor: “Onde eu pertenço?”
Até agora, eu não tenho uma resposta. É por isso que estou perguntando essa questão para Deus.
Veja só, uma coisa eu sei: “Eu não pertenço aqui”.

Não estou me referindo a este lugar em particular: Portland, Oregon, ou sentada aqui na casa da minha filha. Eu já estive em Portland muitas vezes e morei aqui por diferentes períodos.
Eu não tive essa inquietação sacudindo dentro de mim. Eu estava em paz, pois é onde eu deveria estar.

Então – por que agora estou fazendo essa pergunta? Há alguma coisa que eu deveria estar fazendo e não estou fazendo? Se sim, por que não sei o que é?

Às vezes eu rio de mim mesma. Tenho certeza de que às vezes as pessoas olham para mim e balançam a cabeça … eles são legais sobre isso, mas eles se perguntam o que há de errado comigo? Por que não posso estar satisfeita e feliz aqui, onde estou?
Como posso explicar?

Aprendi a estar satisfeita e feliz em mais de 60 lugares diferentes neste mundo.

Brasilia – DF (Brasil)
Belo Horizonte – MG (Brasil)

Natal – RN (Brasil)

Paulo colocou assim em seus escritos:
“Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fatura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação…” Filipenses 4:12
E Paulo teve muitas situações!

Um aluno altamente respeitado e brilhante, ensinado pelos principais rabinos em Jerusalém.
Depois que Jesus foi crucificado, um Jesus vivo confrontou Paulo na estrada para Damasco. Paulo, que estava procurando cristãos para jogá-los na cadeia e muito mais. . . Passou o resto de sua vida compartilhando sobre a importância de Jesus, e outros jogando-o na prisão, apedrejando-o, difamando-o…

Aqui, Paulo disse que aprendeu a se contentar em meio a todas as situações?
Então, o que é isso comigo? Não posso fazer o mesmo?
A resposta é sim, eu posso?
Eu quero estar contente em todas as circunstâncias? Sim, eu quero!
Então, o que eu faço para mais uma vez aprender como estar contente?
Paulo me dá três respostas práticas e inclusivas.

1

Filipenses 4:6-7 (NLT)
“6 Não se preocupem com nada; em vez disso, orem sobre tudo. Diga a Deus o que você precisa, ao mesmo tempo, agradecendo-lhe por tudo o que ele fez. 7 Então você experimentará a paz de Deus, que excede tudo o que podemos entender. Sua paz guardará seus corações e mentes enquanto você vive em Cristo Jesus.”

2

Efésios 5: 18b-21
” 18b … sejam cheios do Espírito Santo, 19 cantando salmos e hinos e canções espirituais entre vocês e fazendo música ao Senhor em seus corações. 20 E agradeça tudo a Deus Pai em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 21 E, além disso, submetam-se uns aos outros por reverência a Cristo.”

3

1 Tessalonicenses 5:15-22
15 Vejam que ninguém pague o mal pelo mal, mas sempre tentem fazer o bem uns aos outros e a todas as pessoas.
16 Sejam sempre alegres.
17 Nunca parem de orar.
18 Sejam gratos em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês que pertencem a Cristo Jesus.
19 Não apaguem o Espírito Santo.
20 Não zombem das profecias, 21 mas testem tudo o que é dito. Apeguem-se ao que é bom.
22 Fiquem longe de todo tipo de mal.

Esta é minha lista de instruções. Não tenho desculpas para não ficar contente, mesmo que eu não tenha respostas.
É melhor eu começar a trabalhar, estudando essas diretrizes mais uma vez – e aplicando-as na minha vida.
Quando eu O obedecer, Ele toma conta das minhas emoções.

Obrigada, Pai! Estou onde queres que eu esteja. Confio em Ti, sabendo que estás colocando tudo no seu devido lugar – inclusive eu..

-Voni